É fraude? Suco vendido nas redes sociais em Campo Grande promete ‘prevenir e combater’ câncer

O suco vendido por R$ 23,90 tem chamado atenção em grupos das redes sociais

Um anúncio que circula nas redes sociais desde o começo da semana promete combater e prevenir o câncer com apenas uma medida alimentar: tomar um suco diariamente. A oferta de evitar qualquer tumor no organismo tem chamado a atenção dos internautas em Campo Grande, mas conforme órgãos sanitários, de saúde, de regulamentação e até mesmo médicos oncologistas, o suco não passa de uma fraude.

A oferta do suco, em que 500 ml custa R$ 23,90, diz que a bebida estimula o corpo a eliminar toxinas acumuladas, restabelece o metabolismo e fortalece o sistema imunológico. O anúncio estampa, inclusive, uma paciente em tratamento bem sorridente e afirmar se basear em estudos do Drº Max Gerson, um médico americano que afirmava poder curar o câncer com tratamentos alternativos. No entanto, suas pesquisas nunca foram comprovadas cientificamente.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) foi direta ao Jornal Midiamax quanto a venda do suco ‘milagroso’ e afirmou: “não é permitido alegações terapêuticas em propagandas de alimentos no Brasil”.

Por outro lado, o Ministério da Saúde disse que não existe nenhum alimento específico ou milagroso para a prevenção ou cura do câncer, mas afirmou que hábitos saudáveis podem ajudar a prevenir e reduzir os riscos de desenvolver a doença e que alimentos prontos para o consumo, como no caso do suco, não são os mais ideais para o corpo.

“A adoção de hábitos saudáveis passa por uma alimentação pobre em carnes processadas e produtos ultraprocessados – aqueles prontos para o consumo -, a prática de atividades física, além de evitar o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas”, disse a reportagem através de nota.

Por se tratar de uma bebida, o MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) é quem faz a regulamentação do produto e, de acordo com as normas, o suco não é regular. Além disso, o Ministério explicou ao Midiamax que, por se tratar de um produto que afirma ter qualidades terapêuticas, ele deveria ser registrado como um medicamento ou como produto fitoterápico.

“Infelizmente o que normalmente ocorre em casos como esse, de venda em plataformas online e mídias sociais, é que os produtos não possuem o registro obrigatório no Mapa, sendo produzidos sem as mínimas condições higiênicas, fora dos padrões de identidade e qualidade, com a utilização de ingredientes e aditivos proibidos para o produto”, frisou o MAPA ao Midiamax.

Tanta a Anvisa como o MAPA orientaram os moradores a denunciarem caso desconfiem da origem de produtos. As denúncias podem ser registradas no site da Anvisa, clicando aqui, ou na ouvidoria do Ministério da Agricultura, clicando aqui.

Suco ‘milagroso’ é fake News, diz oncologista

A SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica) também se manifestou sobre a venda do suco e, segundo a diretora Drª Clarissa Baldotto, a venda não passa de uma farsa para enganar os pacientes que batalham diariamente para curar-se da doença.

“São pessoas e familiares buscando uma solução para um problema grave e essas notícias acabam alimentando falsas esperanças ou criando percepções equivocadas diante de dados falsos”, afirmou a oncologista ao Midiamax.

Baldotto ainda disse que diariamente os profissionais passam por situações complicadas para conseguirem desmentir as fake News aos pacientes em tratamento. “É interessante que essas notícias circulam, às vezes voltam a circular notícias de 2 anos atrás, que a gente volta a receber os mesmos questionamentos. Parece algo que não tem fim, mesmo que a gente explique, parece que isso volta com o tempo e continua repercutindo”, pontuou.

Tratamento médico é o único caminho

Clarissa Baldotto afirma não há nada comprovado cientificamente que há alimentos que ajudam a combater o câncer e que a melhor e única opção ao paciente é o tratamento médico.

“Os pacientes com câncer que usaram tratamentos não comprovados e deixaram os tratamentos recomendados pelos médicos e comprovados cientificamente de lado, tiveram piora da doença, uma menor taxa de cura e sobrevida, ao adotar tratamentos alternativos. O mais importante de tudo é seguir sempre as orientações médicas, fazendo os tratamentos comprovadamente eficazes contra o tumor, e nunca seguir nenhum tipo de tratamento que não tenha comprovação e sem consultar seu médico antes”, finalizou.

A reportagem entrou em contato com a fabricante do suco, mas nas tentativas, ligações caíram direto na caixa de mensagem.

Mais notícias