Dia do Pantanal pode ser instituído em Mato Grosso do Sul

ALMS

A importância para o Pantanal ao Mato Grosso do Sul transcende o aspecto da ecologia. Ele é considerado Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera pela Unesco, segundo levantou o deputado Renato Câmara (MDB), que nesta terça-feira (12) apresentou projeto para instituir o Dia do Pantanal no Calendário Oficial de Eventos do Estado.

A proposta prevê que a comemoração anual seja feita em 12 de novembro, data que já é considerada o Dia do Pantanal pela Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), instituído em 2008 em homenagem ao professor e ambientalista Francisco Anselmo de Barros, o Francelmo, que, em protesto contra usinas hidrelétricas no Pantanal, ateou fogo ao próprio corpo em 12 de novembro de 2005, na Rua Barão do Rio Branco, em Campo Grande.

Ainda segundo levantamento do deputado, a planície pantaneira se estende por mais de 200 mil quilômetros quadrados dos territórios de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. É a maior área alagada do mundo. Já o bioma Pantanal cobre uma área mais extensa, cerca de 620 mil quilômetros quadrados, abrangendo também partes do Paraguai e da Bolívia. O bioma Pantanal é o mais preservado do mundo, com mais de 80% de sua cobertura original.

“O Pantanal é rico em biodiversidade e oferece uma série de serviços ambientais essenciais para a humanidade, desde a água até a atividade do turismo. Sendo assim, peço apoio unânime dos nobres colegas para aprovação do presente projeto de lei”, justificou o deputado Renato Câmara. A proposta segue para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

Mais notícias