Dez dias após incêndio na Cônsul Assaf Trad, fumaça faz até cachorros passarem mal

Depósito de tratamento de resíduos pegou fogo pela primeira vez no dia 10 de agosto

Moradores do Bairro Morada do Sossego relatam que sofreram após o incêndio que atingiu um depósito de tratamento de resíduos. Há 10 dias do ocorrido, muitos passaram mal devido a fumaça e as cinzas no ar que permaneceram até o final de semana.

Marcando 29ºC no início da tarde, o clima no local estava bem seco, mas a fumaça já havia cessado. Em conversa com a moradora Edjane Rosa da Silva, 32 anos, ela conta que a maior dificuldade foi para conseguir respirar. “Esses dias atrás eu acordei às 3h da manhã e não dormi mais porque não conseguia respirar direito, nem o ventilador deu jeito na situação”.

“Os meus filhos também sofreram muito com a situação. A varanda de casa ficou cheia de fuligem e tinha que ficar jogando água pra limpar, só assim pude deixar as crianças saírem para brincar. Lavar roupa também foi muito complicado, quando fui recolher estava cheirando fumaça e tive que lavar de novo. Nisso desperdiça água, sabão e meu tempo”, explica.

Thaís Muchacho, 23 anos, também afirmou que passou por uns dias bem difíceis com a fumaça. Ela tem bronquite e renite e passou muito mal. “Minha respiração ficou muito complicada, além disso a casa não para limpa. Como já tem mais de uma semana assim, quando eu vejo um cinza no céu e o cheiro forte eu já saio na hora e vou para a casa do meu pai que é um pouco mais afastada daqui”,

A dona Carmelinda Martins, de 65 anos, contou que até os cachorros dela passaram mal. “Fiquei com tanta dó dos meus animais que coloquei eles para dentro de casa e tranquei tudo. A queimada foi tão forte que chegou a atingir o mato em frente à minha casa”. De acordo com ela, todos os moradores da redondeza foram atingidos. “Esses dias foram de muito transtorno, o ar ficou pesado, mesmo fechando a casa o cheiro de fumaça entrava. Eu tenho renite e ficou bem atacada, para dormir só com ajuda do umidificador”.

“Falta fiscalização nesses lugares para saber o que andam fazendo ou guardando, ainda mais em local como esse, de tratamento de resíduos, que foi o causador de todo esse transtorno. Tem que verificar”, conclui Carmelinda.

Dados Estatísticos

O chefe de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, major BM Fernando de Almeida Carminati, informou que apenas no início desta semana, entre segunda-feira (19) e terça-feira (20), a corporação atendeu e registrou 18 incêndios em Campo Grande e 38 no interior. Só no mês de agosto, foram 468 focos na Capital e 918 no restante do Estado.

As denúncias sobre casos de incêndios em áreas urbanas podem ser feitas diretamente à Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista) pelo telefone 3325-2567 com plantão de 24 horas para atender o cidadão. Outro telefone é o 156 da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana), que notifica proprietários de terrenos sobre a prática irregular. Os bombeiros militares também devem ser acionados pelo 193 para combater as chamas.

Mais notícias