Deputados aprovam destinação de milhas para pacientes e restrição de produto

Ambas medidas foram aprovadas em primeira votação pelos deputados

Os deputados de Mato Grosso do Sul aprovaram os projetos que preveem milhas aéreas para pagamento de passagens de pacientes e proibição de utilização de produto usado nos famosos slimes e gelecas, destinados a crianças.

Ambas medidas foram aprovadas em primeira discussão, portanto, ainda passarão por mais uma votação na Assembleia Legislativa do Estado. Se passarem pelas instâncias do Legislativo, seguirão para análise do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que decide se sanciona ou veta as medidas.

De autoria do deputado Márcio Fernandes (MDB), a proposta das milhas aéreas trata-se de bilhetes pagos com dinheiro público para servidores que viajam a trabalho. A previsão é que as milhas adquiridas com estas passagens sejam destinadas a pacientes que precisam viajar para tratamento de saúde.

Hoje, esta demanda é, muitas vezes, atendida pelo poder público e, por isso, a destinação das milhas seria forma de economia para o Estado. A medida, se sancionada, não obrigará o servidor a abrir mão da milha. Contudo, Márcio Fernandes acredita que os funcionários terão bom senso e vão transferir as vantagens de seus nomes para o Estado, já que a passagem foi bancada com dinheiro público.

A segunda proposta aprovada nesta terça-feira é do deputado Jamilson Name (PDT) e proíbe a utilização de bórax em produção dos famosos slimes e gelecas, destinados a crianças. A explicação para o projeto de lei é que bórax é um produto alcalino encontrado em produtos de limpezas domésticos e industriais e seria tóxico.

Em São Paulo, uma menina foi internada com quadro de vômitos. Ela tem um Instagram com 1.500 seguidores onde postava todos os dias, a produção da geleca. A intoxicação teria acontecido pelo manuseio e absorção da pele.

Mais notícias