De 335 para 3 focos: chuva de quinta-feria ajudou amenizar queimadas no Pantanal

Na manhã desta sexta-feira (01) aeronave sobrevoa região para verificar focos que restaram

Segundo o comando da Operação Pantanal 2, uma aeronave fará sobrevoo na manhã desta sexta-feira (01) na região do Pantanal que abrange o Parque Estadual do Rio Negro onde estariam ocorrendo focos de calor. As chuvas que caíram na noite de desta quinta-feira (31) entre Corumbá e Miranda amenizaram a situação no local, reduzindo de 335 para apenas três focos.

O Ibama desloca nesta sexta-feira (01) uma equipe do PrevFogo para a mesma região, onde será montada uma nova base operacional, inicialmente na Fazenda Barranco Alto. outra equipe de combate a incêndios do ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) também vai auxiliar o trabalho nessa nova área. O deslocamento da tropa se dará após o sobrevoo. O Exército participa da ação com duas equipes do 9º Batalhão de Comunicação, além de apoio logístico.

A Cedec (Coordenadoria Estadual de Defesa Civil) informou que, apesar da redução dos impactos, a operação não será desmobilizada e o trabalho de controle continua por terra e ar. Além do avião Air Tractor do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, mais duas aeronaves do mesmo modelo, enviadas pelo ICMbio, e um helicóptero do Ibama estão em ação, lançando água sobre o fogo. Mais dois helicópteros – da Polícia Militar de MS e da Polícia Rodoviária Federal – estão auxiliando no transporte de bombeiros e brigadistas.

Tempo

A Defesa Civil informou que o Estado continua em alerta e a temperatura na região volta aos 40 graus, com a umidade baixa entre 20% e 30% e ventos fortes. Os sobrevoos de aviões e helicópteros vão dimensionar os impactos das chuvas para tomada de decisões pelo comando da Operação Pantanal 2.

A situação na área, depois da queima de 50 mil hectares de vegetação nativa, estava sob controle na quinta-feira com a redução do fogo, que se expandia para os campos, no sentido Oeste e Sul, se afastando da rodovia BR-262, onde a destruição foi expressiva.

Mais notícias