Contra atrasos salariais, servidores públicos de Coxim param atividades

Paralisação deve continuar nesta terça-feira, mesmo com desconto de vencimento em folha

Servidores públicos municipais de Coxim, cidade polo do norte de Mato Grosso do Sul, paralisaram suas atividades nesta segunda-feira (26) em protesto aos atrasos salariais feitos pela prefeitura e vários outros problemas. A manifestação deve continuar nesta terça-feira (27), quando haverá uma audiência de conciliação.

Organizado pela Sinsmc (Sindicato dos Servidores Municipal de Coxim), o ato cobra a regularização dos salários, que estariam sendo realizados com atraso há vários meses. Além disso, os repasses previdenciários estariam irregulares.

Nesse quesito, os atrasos chegam a três meses e já passam de R$ 700 mil da parte dos servidores. Já o desconto patronal está na casa dos R$ 2 milhões em atrasos, explica o presidente do Sinsmc, Paulo Monteiro. Ele ainda frisa que a entidade já alertou há algum tempo sobre o aumento da dívida total, que já soma R$ 42 milhões.

Além disso, é cobrado que seja regularizado o repasse para bancos de empréstimos consignados, que já passam de atraso de três meses, somando dívida de R$ 1,5 milhão e bloqueio de valores em conta corrente e restrições aos servidores correntistas. Há problemas também verificados com relação ao plano de saúde.

Todos esses e outros temas será discutidos a partir das 13h10 de terça, no Fórum de Coxim, onde a prefeitura local, sindicato e Ministério Público de Mato Gross odo Sul estarão reunidos, junto do judiciário, para resolver essa pendenga.

Descontos

Ainda segundo o sindicato, a manifestação não foi tratada como ilegal e cobra da prefeitura o cumprimento de ação judicial. Mesmo assim, foi decidido pela prefeitura, hoje sob o comando de Aluízo São José, que os dias da paralisação não trabalhados serão descontados dos funcionários que participarem do ato.

Mais notícias