Publicidade

Construção de Hospital da Mulher tem R$ 20 milhões bloqueados pelo Governo Federal

Unidade da UFGD em Dourados está com 30% das obras concluídas

Após o Governo Federal bloquear o orçamento do MEC (Ministério da Educação), a construção de três hospitais universitários no Brasil, foram afetadas, sendo uma delas, a Unidade da Mulher e da Criança, que está sendo construída em Dourados, distante 233 km de Campo Grande. As unidades de Natal e Palmas, também foram afetadas com o bloqueio.

Segundo o que a UFGD relatou ao UOL, 62% dos valores destinados para a unidade sul-mato-grossense, foram contingenciados, isso corresponde a R$ 20 milhões. A construção será uma ampliação do Hospital Universitário com conclusão prevista para outubro deste ano, sendo que as obras começaram em outubro de 2017 e estão 30% concluídas.

Com uma área de 24 mil m², com capacidade de 135 leitos, a unidade está orçada em R$ 51 milhões, com a primeira etapa custando R$ 33 milhões. Depois de pronta, a unidade deve virar referência na assistência pública de 33 municípios da região da grande Dourados, onde vivem 800 mil pessoas. O governo estadual doou a área onde a unidade está sendo construída.

Com os recursos para este ano, estavam previstos a construção de dois pronto-atendimento, sendo um pediátrico e um obstétrico- e dois centros de parto normal e um obstétrico.

Em março, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, visitou obras e informou que iria se empenhar para que não faltassem recursos para a construção. “Dourados vai assumir um papel muito maior e mais importante na saúde pública de Mato Grosso do Sul”, disse na ocasião.

O Hospital Universitário da UFGD informou em nota que o bloqueio se refere a “uma emenda da bancada parlamentar de Mato Grosso do Sul destinada à instituição para investimento na continuidade da obra”. “O montante chegou a ser liberado ao HU no dia 2 de abril de 2019, mas foi bloqueado pelo Ministério da Economia no dia 16 do mesmo mês. Cabe explicar que tal recurso foi aprovado pelo Congresso Nacional quando da votação da Lei Orçamentária Anual”, explicou.

NATAL E PALMAS

Ao todo, quase R$ 40 milhões foram bloqueados de três instituições, afetando obras que quando concluídas, devem criar 755 novos leitos na rede pública e servir para atender um público de 2,7 milhões de pessoas. Além de atender à população, a ideia dos hospitais universitários é ajudar na formação de alunos da área de saúde e fomentar pesquisas em diversos campos de atuação. Por isso, eles são ligados a uma instituição federal de ensino e têm verbas do MEC.Segundo o painel de cortes da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), a verba de 2019 para construções de hospitais ligados às universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) e de Tocantins (UFT) foram 100% cortadas.

Mais notícias