Conselho Tutelar: Confirmação de eleitos ocorre só após análise de recursos

Confira a lista com os 25 mais votados

A lista oficial com os 25 conselheiros tutelares eleitos em Campo Grande será divulgada apenas após a análise de todos os recursos, por parte da comissão eleitoral, conforme anunciado em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (9), no auditório do Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano).

A análise dos recursos, assim como todos os pedidos de esclarecimento e eventuais denúncias encaminhadas pelo MPMS (Ministério Público Estadual) começa a partir de agora, após a apuração dos votos, considerada como prioritária pela comissão. Assim, o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) trabalha com a data-limite de 10 de janeiro – dia da posse dos novos conselheiros.

Uma lista com os candidatos mais votados foi divulgada na noite da terça-feira (9), quando a apuração foi encerrada. Dos 77 candidatos, 19 participaram das eleições devido a liminares expedidas pelo Poder Judiciário. Destes, pelo menos 5 conseguiram integrar a lista de 25 mais votados. São elas: Liana Maria Maksoud Machado, Mirian Góes Falcão e Mari Sumilda Vilalba Coene, Adriana Marques, Adriano Vargas e Vânia Aparecida. Apenas cinco entre os mais votados já ocupam cargos de conselheiro.

Validação das eleições

Marcada por tumultos, como longas filas, falta de cédulas e lentidão no processo de apuração, as eleições para conselheiros tutelares em Campo Grande foram postas em xeque e alvos de muitas críticas. Para a vice-presidente do CMDCA, Alessandra Rossi, não há razão para desconfiança.

“Apenas uma urna, de um total de 60, apresentou inconsistência, o que foi resolvido após a recontagem. Todo o procedimento de apuração foi realizado no Fórum eleitoral, acompanhado pelo MPMS (Ministério Público Estadual) e pelo próprio TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral), seguindo todas as orientações do TRE-MS. Não vejo como esse processo pode ter sido inconsistente”, declarou.

Segundo ela, as ocorrências registradas no domingo (6), quando as eleições foram realizadas, referem-se basicamente a demora nas filas, que foram ocasionadas pela falta de cédulas. “O próprio MPMS, que visitou mais de 20 seções, destacou que não foram encontradas irregularidades. Apenas as filas, o que ocorre em qualquer eleição”, destacou Alessandra Hartmann, da Comissão Eleitoral.

De acordo com o CMDCA, a Prefeitura imprimiu 24 mil cédulas e mais 6 mil foram confeccionadas durante o domingo. Em todas as seções eleitorais tivemos devolução de cédulas. “Cerca de 8 mil foram recolhidas. Pode ter faltado cédula momentaneamente, mas não ficou gente sem votar por conta disso”, considerou Hartmann.

O CMDCA também destacou que uma equipe de dez pessoas ficou responsável por atender as ocorrências, inclusive referente à falta de cédulas. Além disso, havia quatro motoristas à disposição para fazer a distribuição. “As cédulas foram sendo repostas ao longo do dia”, acrescentou Hartmann.

Nomes na lista

Sobre os eleitores que não tinham nome na lista, o representante do Instituto Água, Angelo Motti, destacou que as listas são fornecidas pelo TRE-MS. “De foram geral, quem não constava na lista de eleitores passou por uma das duas situações: ou atualizou o título de eleitor fora da data-limite, ou estavam com o título cancelado ou com restrições. Todos esses dados foram fornecidos pelo TRE-MS”, contou Motti.

Ele ainda destacou que três escolas tiveram problemas com nomes, mas devido à mudanças na Seção do eleitores. “São pessoas que achavam que votariam numa escola, mas seria em outra. Isso aconteceu com maior frequência nas escolas Emygdio Campos Widal e Plínio Mendes, e também na Uniderp”, pontuou.

Recursos

A estimativa do CMDCA para as eleições era de que cerca de 10 mil campo-grandenses comparecessem Às urnas. O número foi bem maior: foram 20.349 apurados em 60 seções, dos quais 20.166 foram considerados votos válidos. Os três mais bem votados foram Sérgio Luiz Barbosa  – 1050 votos com   5,21% dos votos; Liana Maria Maksoud Machado – 696 votos, 3,45% dos votos e Ana Cláudia Palmeira – 685 votos, 3,40% dos votos.

Entre os recursos e notificações que serão apreciados a partir de agora, está um pedido do vereador Delegado Wellington (PSDB) para anulação das eleições, um pedido de esclarecimento da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de MS) e 12 denúncias de boca de urna e transporte ilegal de eleitores. “A Comissão vai apurar todas essas denúncias”, concluiu Hartmann.

Confira a lista com os 25 candidatos mais votados:

Sérgio Luiz – 1.050
Liana Maksoud – 696 (SUB JUDICE)
Ana Cláudia Palmeira – 685
Anna Carolina Kalache – 581
Maria Lúcia Maciel – 571
Adriana Marques – 422 (SUB JUDICE)
Vânia Aparecida – 495 (SUB JUDICE)
Letícia Ferreira – 474
Tatiane Lima – 458
Suellen Leme – 455
Mirian Goés Falcão – 414 (SUB JUDICE)
Cristina Froes – 406
Marcelo Marques – 384
Ângela Maria – 361
Éder Rosa – 349
Daniela da Silva – 347
Joana Queiroz – 331
Adriano Vargas – 319 (SUB JUDICE)
Cristiane da Silva – 317
Vera Lúcia – 311
Sandra Aparecida – 307
Gleise de Fátima – 303
Raquel Lázaro – 286
Julianna Nery – 283
Hellen Prado – 268

* Atualizado às 13h12 para correção de informações

Mais notícias