Conselho do FCO aprova R$ 335 milhões a mais para empreendedores do Estado

Assessoria
O Condel/Sudeco (Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste) aprovou aumento de R$ 335 milhões no FCO (Fundo de Financiamento do Centro-Oeste) para Mato Grosso do Sul. O recurso vai ser disponibilizado ainda este ano, aumentando de R$ 1,687 bilhão para R$ 2,022 bilhões o total a ser disponibilizado aso empreendedores.

A decisão foi tomada na tarde de hoje (16.9), em Brasília, em reunião do Conselho que teve a participação do Ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Gustavo Canuto, que preside o colegiado; do Governador Reinaldo Azambuja; do superintendente da Sudeco, Nelson Fraga; e representantes dos estados que integram a Região Centro-Oeste.

Reinaldo Azambuja comemorou a decisão, enfatizando: “São R$ 335 milhões a mais para todos os segmentos produtivos, setor rural, indústria, comércio, turismo. Todo aquele segmento que demandava recurso, nós vamos aportar mais R$ 335 milhões até o final do ano. É importante porque são recursos que não tínhamos, agora foram disponibilizados e que vão ajudar muito o setor produtivo em todo o Mato Grosso do Sul”, afirmou.

O titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, que acompanhou o governador nas reuniões em Brasília, também destacou a importância dessa decisão para a economia do Estado.

“Foi um passo importante para que a gente atenda o setor produtivo do Estado de Mato Grosso do Sul, principalmente os médios produtores e atender também aquelas propostas que já estavam incorporadas dentro do banco”, comentou Verruck

Ele disse que outra decisão importante do Condel foi com relação a um pleito de Mato Grosso do Sul. “O segundo ponto importante foi que voltamos a discutir os recursos destinados a cooperativas, que foi uma proposta de MS, de que 10% do total dos recursos sejam aplicados em cooperativismo e o ministro nos apresentou uma Medida Provisória que trata especificamente disso, aonde dará aos conselhos do FCO estaduais a autonomia, quer dizer, os bancos cooperativos trabalhariam na mesma situação do Banco do Brasil. O ministro vai enviar essa Medida Provisória para depois ser aprovada pelo Congresso”, explicou o secretário.

O Condel deliberou pelo remanejamento de recursos que já estavam previstos para aplicação em ações próprias, desta forma o valor a que todos os estados terão direito vai aumentar, subindo de R$ 7,030 bilhões para R$ 8,425 bilhões, seguindo a regra da proporcionalidade definida em Lei. Mato Grosso do Sul teve o valor elevado de R$ 1,687 bilhão para R$ 2,022 bilhões, R$ 335 milhões a mais. Goiás e Mato Grosso do Sul terão direito a mais R$ 460 milhões e o Distrito Federal mais R$ 140 milhões.

Mais notícias