Confusão e demora: futuro da eleição para Conselho Tutelar em Campo Grande é incerto

Prazo para divulgação de resultado encerra-se nesta terça, conforme edital publicado em fevereiro

Termina nesta terça-feira (8) o prazo final para divulgação dos 25 conselheiros tutelares eleitos em votação realizada no domingo (6), em Campo Grande. O prazo é determinado no cronograma que consta no edital publicado em fevereiro deste ano, que lançou o processo de escolha dos novos conselheiros.

Conforme o edital, o resultado deveria ser publicado nesta terça, no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande). O problema é que até o momento a apuração não está nem sequer perto de ser encerrada. Conforme apurou o Jornal Midiamax, na manhã da segunda-feira (7), apenas quatro urnas teriam começado a ser apuradas e apenas uma delas fora concluída – num universo de 60 urnas.

A apuração, que ocorre nas instalações do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de MS), entrou em seu segundo dia nesta terça-feira e já é marcado pela incerteza. O processo eleitoral foi marcado por desorganização e tumultos, como longas filas, grande tempo de espera, eleitores que não constavam em listas de aptos para votar e, principalmente, a substituição das modernas urnas eletrônicas pelas de lona, com votação em cédulas de papel.

De acordo com o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) de Campo Grande, o método arcaico nas eleições ocorre devido aos recursos impetrados por candidatos que tiveram nomes inicialmente impugnados. Devido a isso, a reprogramação das urnas eletrônicas cedidas pelo TRE-MS não foi possível e as eleições passaram a ser “à moda antiga”.

‘Pegos de surpresa’

No domingo, foi necessário que a Comissão Eleitoral determinasse uma força-tarefa para confecção de novas cédulas de votação. “Fomos pegos de surpresa. Esperávamos umas 10 mil pessoas, mas mais de 30 mil compareceram. Estamos tentando, a apuração está ocorrendo, mas muito lenta”, destacou nesta manhã Celso José Santos, presidente do CMDCA.

Neste momento, a comissão eleitoral está reunida no TRE-MS, onde decidirá que procedimentos tomar diante de tantos imprevistos. Segundo Santos, cerca de 40 pessoas fazem a apuração no recinto. A SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) destacou que uma coletiva de imprensa para posicionar sobre o andamento da apuração e validade do pleito será realizada no fim da manhã desta terça-feira. O Jornal Midiamax acompanhará a entrevista.

Na tarde de ontem, o vereador Delegado Wellington (PSDB) formalizou à SAS pedido de anulação do certame. Porém, a decisão de suspender cabe apenas ao Poder Judiciário. A reportagem também acionou o MPMS (Ministério Público Estadual), responsável pela fiscalização das eleições, acerca de um posicionamento sobre o futuro da escolha dos novos conselheiros tutelares em Campo Grande e aguarda posicionamento.

Mais notícias