Publicidade

Confirmado segundo caso de gripe H1N1 em Mato Grosso do Sul

Estado já registrou uma morte pela doença

Foi confirmada, pela SMS (Secretaria Municipal de Saúde) de Três Lagoas, nesta terça-feira (23) o segundo caso gripe em Mato Grosso do Sul. Um homem de 36 anos, morador do município. Até o dia 17, eram investigadas 251 notificações e uma morte registrada.

De acordo com as informações, o rapaz está em tratamento contra o vírus Influenza A, tipo H1N1, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Cassems, em Três Lagoas.

No dia 11 de abril, a primeira morte pela doença foi confirmada em Corumbá, a 440 quilômetros de Campo Grande. No boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde), a informação é de que a vítima foi acometida pelo vírus Influenza H3N2.

Sintomas

O vírus H1N1 causa os mesmos sintomas das outras versões do vírus da Gripe. O paciente apresenta sintomas de febre alta, mal-estar, dores de cabeça, espirros constantes e tosse. Em alguns casos de H1N1, pode haver também dificuldade para respirar ou falta de ar.

Quando os sintomas aparecem, o ideal e aconselhável é procurar imediatamente a Unidade de Saúde mais próxima da residência do paciente para o diagnóstico médico e tratamento adequado.

Vacinação

Vale ressaltar que a campanha de vacinação segue até o dia 31 de maio. O objetivo é vacinar 795 mil pessoas que são o público alvo.

Em Campo Grande, a imunização está disponível nas 78 UBS (Unidades Básicas de Saúde) e UBSF (Unidades Básicas de Saúde da Família). De acordo com a Sesau, a pasta organiza estratégia para intensificar a imunização contra a gripe durante os fins de semana, somente nos CRS (Centros Regionais de Saúde).

Além disso, a Sesau também manterá um “trailer de imunização” na Praça Ary Coelho, dos dias 29 de abril até 5 de maio, durante o horário comercial. Vale lembrar que no dia 4 de maio será o “Dia de Mobilização Nacional – Dia D”.

Vale lembrar que para receber a imunização, é preciso portar o Cartão Nacional de Saúde (Carteirinha do SUS), cédula de identificação e algum documento que comprove o grupo prioritário.

De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Educação), em 2018 a cobertura vacinal atingiu 92,68% do público alvo – 573.562 pessoas. O número superou a média nacional, que proporcionou imunização de 90,87% desta população.

Mais notícias