Publicidade

Com salários atrasados, terceirizados da Sesai organizam paralisação

Atendem aproximadamente 4.550 indígenas

Aproximadamente 68 funcionários terceirizados da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) que atendem no polo base de Sidrolândia estão organizando uma paralisação para esta segunda-feira (20), por atraso nos salários de maio.

De acordo com as informações, às 8h da manhã eles se reuniram em frente ao polo com cartazes pedindo apoio da população para que o Governo Federal se posicione e faça o repasse necessário. “O polo atende cerca de 14 aldeias, aproximadamente 4.550 indígenas, de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti, e os profissionais são terceirizados pela Missão Kaiowá, eles nos disseram apenas que houve atraso no repasse”, contou um dos funcionários.

Segundo a Missão Kaiowá, os reajustes governamentais estão atingindo todas as áreas, inclusive a saúde indígena e com a revisão orçamentária, consequentemente a Sesai também é afetada.

“Eles estão recalculando os repasses trimestrais, era para ter sido pago dia 9, mas com esse reajuste no cronograma, devemos pagar até o final do mês de maio, junto com o próximo salário já”, disse Sandro Bernardes, que faz parte da coordenação da Missão.

Além disso, Sandro explicou que eles atendem todo o Mato Grosso do Sul, são 780 profissionais da saúde, que atendem as aldeias, os repasses são feitos a cada três meses, e eles precisam administrar isso mês a mês. “Nós temos uma folha orçamentária de uns R$ 2 milhões, por mês. Esse repasse é feito a cada três meses, ou seja, recebemos o valor de três meses para administrar mês a mês. Estamos esperando o governo repassar para efetivarmos os pagamentos dos profissionais dos 15 pólos”, conclui.

Mais notícias