#CG120: Além de padroeiro, santas ‘batizam’ bairros da Capital; saiba quem foram elas

Em vila de Campo Grande, paróquia também carrega o nome de religiosa e festeja o seu dia

Todos os anos os campo-grandenses comemoram e festejam o dia do padroeiro da cidade, Santo Antônio de Pádua, comemorado no dia 13 de junho. Além disso, o nome do santo denomina um bairro na Capital e, o que pouca gente sabe é a quantidade de bairros e vilas que levam nomes de santas, número até mais expressivo que os bairros com nomes dos religiosos.

Atualmente, Campo Grande tem 74 bairros divididos em mais de 800 parcelamentos, isto é, vilas e jardins, como conhecemos. Ao todo são 19 bairros e vilas batizados com os nomes de santidades católicas femininas e, para mostrar quem foram essas mulheres canonizadas pelo Vaticano e que batizam os quatro cantos da Capital, o Jornal Midiamax conta a história de oito bairros conhecidos com nomes de santas.

Santa Luzia

Dentro da Vila Nasser, existe o Santa Luzia, e este é um nome santo que muitos católicos já conseguem identificar. Na região, inclusive, existe a Paróquia Santa Luzia. A santa, protetora dos olhos, nasceu no ano de 280, na cidade litorânea de Siracusa, Itália.

A santa foi perseguida e morta justamente por ser cristã, pois, na época, o imperador romano Diocleciano tinha emitido um decreto autorizando punição exemplar para os cristãos.

Luzia foi punida com resina e azeite fervendo sob a pele, mas nada aconteceu a ela. Furioso, o imperador exigiu que os carrascos arrancassem os seus olhos. Daí vem a devoção a qual a santa é conhecida. Ela morreu no ano de 304 e os seus restos mortais estão na igreja de São Jeremias, em Veneza.

O dia da santa é comemorado no dia 13 de dezembro e na paróquia do bairro, a igreja organiza uma celebração todos os anos e fiéis comparecem para uma procissão.

Foto: Minamar Júnior, Midiamax

 

Santa Mônica

O Bosque Santa Mônica fica dentro do Bairro Popular e a santa que batiza a região é conhecida como a padroeira dos pais e era mãe de outro santo, Santo Agostinho. Ela nasceu no ano de 332, na cidade de Tegaste, na Argélia, que fica no norte da África. Criada como escrava, Mônica era bastante religiosa desde criança e sempre ajudava os mais pobres.

Santa Mônica faleceu no ano 387, aos 56 anos. Santo Agostinho no seu famoso livro autobiográfico intitulado “Confissões” fez um monumento indelével à memória de Santa Mônica. O corpo de Santa Mônica foi descoberto em 1430. O Papa Martinho V transportou-o para Roma e depositou-o na igreja de Santo Agostinho. Ela foi canonizada pelo Papa Alexandre III e data de sua comemoração é no dia 27 de agosto, um dia após o aniversário de Campo Grande.

Santa Emília

O Jardim Santa Emília fica localizado no Bairro São Conrado e, para quem não sabe, o nome que leva o bairro é de uma santa bastante conhecida na Igreja Oriental. Emília teve nove filhos, dos quais cinco tornaram-se santos canonizados pela Igreja Católica.

A vida cristã de Santa Emília foi tão intensa que, no final de sua vida, já em idade avançada, ela fundou um mosteiro, onde viveu na oração e na caridade. Neste mosteiro Santa Emília veio a falecer e ali também foi sepultada no dia 8 de maio do ano 375. Santa Emília é mais conhecida e venerada nas igrejas orientais da Rússia e da Grécia, mas sua importância para a igreja primitiva foi grande.

Santa Felicidade

O Jardim Santa Felicidade fica localizado no Bairro Moreninhas em Campo Grande e poucos sabem, mas o nome que intitula a vila, é de uma das santas mais antigas da Itália. Felicidade nasceu em Roma no ano de 101 e em 203, foi presa por ordem do imperador romano Severo, pelo simples fato de ser cristã.

Na prisão, ela se manteve em oração e foi batizada antes de ser condenada à morte. O dia de Santa Felicidade é comemorado no dia 23 de novembro na Igreja Católica.

Santa Úrsula

Padroeira dos jovens e órfãos, Santa Úrsula dá o nome à vila localizada dentro do Bairro Pioneiros na Capital. A santa viveu por volta do ano de 362 e liderou um grupo de moças diante da violência de bárbaros naquela época.

A santa era filha de um rei da Inglaterra e, apesar de ser muito desejada por vários pretendentes, ela apenas queria dedicar-se a Deus. Úrsula foi morta no ano de 383 e atualmente, seus restos mortais estão em uma igreja em Colônia, Alemanha.

Santa Bárbara

A Vila Santa Bárbara está localizada no Jardim São Francisco e a santa que dá seu nome é padroeira dos bombeiros. A jovem santa morreu cedo, aos 37 anos, no ano de 317, ao ser sentenciada a morte pelo próprio pai, após se recusar a casar e negar a sua fé.

O pai da jovem, Dióscoro, a degolou e quando a cabeça de Santa Bárbara rolou pelo chão, um raio riscou o céu e um enorme trovão foi ouvido pelo povo. E, para o assombro de todos, o corpo de Dióscoro caiu no chão sem vida, atingido pelo raio. Depois disso, a santa também ficou conhecida como “protetora contra relâmpagos e tempestades”.

Santa Filomema

O nome da vila que fica dentro do Bairro Glória, em Campo Grande, significa “luz”. A santa nasceu na Grécia no ano de 291 e morreu em Roma, aos 13 anos, no ano de 304. A história diz que a jovem santa, por sempre afirmar seus votos a Deus, acabou sendo perseguida por imperador romano e, em algumas das vezes que sua vida esteve em risco, foi salva por anjos.

No ano de 304 ela acabou sendo decapitada e em 1802, durante escavações nas catacumbas romanas, o corpo da santa foi encontrado junto a uma âncora, uma palma (símbolo do martírio), uma flecha e uma ânfora com um liquido dentro (sangue).

Santa Catarina

O nome do jardim localizado no Bairro Bela Vista, vem de origem ao nome da santa nascida em Siena, na Itália. Santa Catarina nasceu em 1347 e com 15 anos decidiu ingressar na Ordem Terceira de São Domingos.

A jovem viajou pela Itália inteira e também por outros países, falando, pregando, ditando cartas aos reis, aos príncipes e aos governantes católicos. A trajetória da santa também se passou na época da peste negra. Santa Catarina colocou-se ao lado dos doentes, lutando por eles e curando a muitos através de ações diretas e de suas orações.

Catarina faleceu em 29 de abril de 1380, aos 33 anos de idade devido a um derrame. A cabeça de Santa Catarina está na cidade de Siena e lá se conserva a casa onde ela viveu. Seu corpo foi trasladado para Roma, onde suas relíquias ficam na Igreja de Santa Maria Sopra Minerva.

Além das oito santíssimas citadas, a Capital Morena também tem vilas com os nomes de Santa Camélia, Santa Amélia, Santa Branca, Santa Dorothéa, Santa Lúcia, Santa Luiza, Santa Maria, Santa Odete, Santa Rita, Santa Rosa e Santa Tereza. Para quem se interessar, pode acessar todos os nomes dos bairros da cidade, além de perímetros e regiões de Campo Grande, clicando aqui, no Sisgran.

Mais notícias