Cerca de 3 mil empregos devem ser gerados com a concessão da MS-306

Segundo estudos, com a concessão, deve ocorrer a redução do número de acidentes, geração de empregos diretos e indiretos e diminuição do tempo de deslocamento

Três mil empregos devem ser gerados com a concessão da MS-306, é o que diz o prefeito de Chapadão do Sul, João Carlos Krug. Estudos foram realizados referentes ao projeto que pode contribuir com geração de de vagas de empregos diretos e indiretos.

A rodovia MS-306 foi arrematada no último dia 5 de dezembro, pelo valor de outorga de R$ 605,3 milhões. O leilão da malha estadual foi o primeiro do Estado e consolida um dos projetos de concessão que o EPE (Escritório de Parceria Estratégica), do Governo do Estado, vem trabalhando.

O Consórcio Way -306 – liderado pela Bandeirantes Engenharia com as empresas TCL Tecnologia e Construções, Senpar, Torc Terraplanagem e GLP Brasil – garantiu o direito de exploração da MS-306 pelo período de 30 anos. Os recursos serão depositados no Fundersul e devem ser injetados em melhorias de outras estradas da malha rodoviária estadual.

Grande parte do tráfego da rodovia vêm de outros Estados e 70 % transporta produtos das Safras. A rodovia é polo de integração comercial entre Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Goiás e Minas Gerais e rota de escoamento de produção de açúcar, álcool, algodão, soja e milho.

Leilão

Dois consórcios participaram do leilão de concessão da MS-306. Via Brasil MS e Way 306. A outorga vencedora superou em cerca de 500% a oferta de R$ 100 milhões da Via Brasil.

O contrato de concessão da MS-306 tem estimativa de investimentos de aproximadamente  R$ 1,7 bi no período de 30 anos. Segundo estudos, com a concessão deve ocorrer a redução do número de acidentes, geração de empregos diretos e indiretos, diminuição do tempo de deslocamento e economia de R$ 4 milhões/ano em investimentos na manutenção da rodovia.

As obras na rodovia têm previsão de início em meados de 2020, e as praças de pedágio no período de um ano após início dos investimentos.

Mais notícias