Casas Bahia é autuada pelo Procon por propaganda enganosa

Um cliente chegou a pagar mais de R$ 2 mil além do anunciado

Após inúmeras reclamações, o Procon/MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) autuou a loja Casas Bahia, da 14 de Julho de Campo Grande, por propaganda enganosa e não atendimento prioritário. Por um produto comprado, um cliente chegou a pagar mais de R$ 2 mil além do divulgado por ter parcelado.

Segundo informações do Procon, a falta de informações adequadas nas etiquetas que informam as diferenças de preços, nos valores pagos à vista ou prestações, também o tratamento espacial aos que possuem cartão próprio da loja, se configuram propaganda enganosa.

Os valores em destaques contemplam os que possuem o cartão da loja, mas essa informação não é explicita ou mencionada aos consumidores, que acabam percebendo o real valor a ser pago já no pagamento.

Para exemplificar, um dos denunciantes informou ter comprado um produto por boleto. Quando calculou o preço final das parcelas, viu que houve um acréscimo de 131,87% a mais ao que seria cobrado se utilizasse o cartão de crédito. O preço exposto no produto era de R$ 2.795,00 só que o cliente pagou R$ 5.111,00 ao final das 12 prestações, somando todas as taxas.

Tentando justificar, o gerente da loja afirmou que é muito inferior os clientes que utilizam o cartão da loja, se comparado aos que compram por boleto. Deixando ainda mais evidente que as ofertas não seguem o que está previsto no Código de Defesa do Consumidor.

Entremos em contato com a assessoria de imprensa da rede de lojas e fomos informados que, a respeito da autuação do Procon-MS, empresa não iria se manifestar. Confira a nota:

“A rede reforça que pauta o relacionamento com os seus clientes no respeito, ao mesmo tempo em que capacita os colaboradores que lidam com o público a seguirem o que determina o Código de Defesa ao Consumidor. Em relação à autuação do PROCON/MS, a rede informa que não vai se manifestar, pois não teve acesso ao conteúdo que motivou a notificação do órgão”, disse ViaVarejo.

*Matéria atualizada às 18h05 para acréscimo de informação

Mais notícias