Publicidade

Campanha mobiliza três mil profissionais no combate ao mosquito da dengue na Capital

Trabalhadores vão percorrer os bairros da cidade em vistorias a casas e terrenos baldios

Mais de 3 mil profissionais da Atenção Primária e Vigilância em Saúde de Campo Grande estarão envolvidos nas ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue, zika e chikungunya. A campanha “10 dias contra o Aedes” aconteceu na manhã desta segunda-feira (11) e contará com 198 equipes de UBSs (unidades básicas de saúde) e de UBSF (unidades básicas de saúde da família), somando 3.280 profissionais.

A campanha contará com o trabalho de agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos, que estarão mobilizados nas ações simultâneas de combate ao mosquito. Segundo o prefeito Marquinhos Trad, 80% dos focos de mosquito ainda são encontrados dentro das casas e por isso é preciso que a população se engaje.

“Não adianta somente o Poder Público fazer a sua parte. Se cada um não fizer o dever de casa, os nossos esforços não serão suficientes. Portanto, é preciso que todos estejam mobilizados. Evite deixar lixo acumulado no fundo de casa, jogue fora aquilo que você não vai usar mais. Só assim vamos continuar vencendo a guerra contra esse mosquito”, disse.

Para o secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Marcelo Vilela, atitudes simples fazem a diferença na prevenção das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti. Segundo ele, a expectativa é de que o número de casos de doenças transmitidas pelo mosquito aumente, mas os riscos serão menores se a população ajudar. Durante os dez dias, os profissionais devem atuar em conjunto nas sete regiões urbanas da Capital para fazer a vistoria de imóveis, terrenos baldios e dar orientação dos moradores.

Em janeiro deste ano, foram notificados 2.338 casos de dengue, 45 de zika e 40 de chikungunya. Em janeiro do ano passado, foram notificados 374 casos de dengue, 27 de chikungunya e 22 de zika.

Gincana estimula coleta de resíduos

Além da campanha, a Clínica da Família do Nova Lima lançou uma gincana chamada ‘Aedes – tolerância zero’. A brincadeira tem como objetivo incentivar os moradores a fazer a coleta de materiais que possam acumular água, como plásticos, garrafas pet e copos descartáveis. Cada família interessada receberá cinco sacos de lixo.

No dia 21 de fevereiro, a família deverá levar o material recolhido à unidade para participar do sorteio de brindes. Uma catadora de lixo, Raimunda Vieira do Nascimento, 72 anos, resolveu se antecipar e foi a primeira a ganhar um brinde. Ela conta que quis trazer o material entres do prazo e foi surpreendida com um liquidificador.

Mais notícias