Campanha de vacinação contra sarampo começa na segunda-feira em MS

Primeira etapa tem foco na vacinação de crianças de seis meses a cinco anos

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) lança na segunda-feira (7) a Campanha Nacional de contra o . Na primeira etapa da imunização, serão vacinadas crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade. Na segunda fase serão imunizados adultos na faixa de 20 a 29 anos de idade.

A meta é atingir pelo menos 95% de cobertura vacinal de rotina, de forma homogênea, do público-alvo a ser vacinado. “Junto com o e outras organizações engajadas, queremos interromper a circulação viral e controlar o no país, que registrou 4.507 casos confirmados em 19 estados nos últimos 90 dias, de acordo com balanço divulgado quinta-feira (25)”, afirma o secretário Geraldo Resende.

Em MS, casos de foram confirmados em um paciente de 52 anos em Três Lagoas e uma criança de 10 meses de Campo Grande.

Etapas da vacinação

A campanha de vacinação contra o acontecerá em duas etapas: de 7 a 25 de outubro será aplicada a dose a todas as crianças não vacinadas, de seis meses a menores de cinco anos de idade. Nesta fase, o “Dia D” (de mobilização nacional) acontecerá no dia 19 de outubro.

De 18 a 30 de novembro, a vacina será disponibilizada para jovens adultos não vacinados, na faixa de 20 a 29 anos de idade. Nesta fase, o “Dia D” será no dia 30 de novembro.

A Diretora Geral de Vigilância em Saúde da SES, Larissa Castilho, explica que nesta campanha será utilizada a vacina tríplice viral (, caxumba e rubéola) de diferentes laboratórios produtores para a vacinação das crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade. Para os adultos jovens de 20 a 29 anos de idade serão utilizadas as vacinas tríplice viral e dupla viral ( e caxumba).

Recomendações

Para esta campanha, a Secretaria de Estado de Saúde faz diversas recomendações, entre elas a de que devido à situação emergencial do , as crianças na faixa etária de seis meses até 11 meses e 29 dias devem receber uma dose da vacina tríplice viral (dose zero) e essa dose não será validada para a rotina. Nesta situação, deve-se agendar a dose “um” a partir de 12 meses de idade, considerando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. As crianças na faixa etária de 12 meses a menores de cinco anos de idade, devem ter duas doses da vacina para serem consideradas com esquema vacinal completo.

Outro alerta é que as vacinas tríplice viral e dupla viral deverão ser administradas de forma seletiva, conforme o Calendário Nacional de , sendo duas doses de 12 meses a 29 anos de idade, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses. “No momento da avaliação da caderneta de vacinação do público alvo na primeira e segunda etapa, destaca-se a importância da atualização do documento para as vacinas definidas no calendário nacional de vacinação, conforme disponibilidade da vacina”, explica Larissa Castilho.

Segundo ela, a administração da vacina deve ser adiada nas seguintes situações: em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro, com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

A SES está orientando aos profissionais envolvidos na aplicação da vacina tríplice viral do Laboratório Serum Institute of India Ltda. que a mesma não deve ser administrada em crianças portadoras de alergia à proteína do leite de vaca. Nestas situações deve ser disponibilizada a vacina de outros laboratórios.

“Para as crianças de nove meses de idade que necessitam ser vacinadas para a febre amarela, orientamos que os Municípios priorizem a vacinação com tríplice viral, dada a situação epidemiológica do país e, após 30 dias impreterivelmente, administrem a vacina contra febre amarela, pois esta população terá apenas dois meses para ser vacinada dentro do calendário”, conclui Castilho.

(com informações da SES)

Campanha de vacinação contra sarampo começa na segunda-feira em MS
Mais notícias