BR-262 em Miranda é liberada após protestos de indígenas

PRF ainda não informou sobre interdição em Nioaque

Manifestantes indígenas liberaram, por volta das 10h50, trecho da BR-262, na altura do km 529, que havia sido interditado na manhã desta sexta-feira (29) para protesto contra a proposta de municipalização da saúde indígena, proposto pelo governo Federal. Segundo informou a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o fluxo de veículos segue normalmente no local.

Ainda de acordo com a PRF, cerca de 100 manifestantes bloquearam a via, em Miranda, quase no limite municipal com Aquidauana e nas proximidades do distrito de Taunay, onde há aldeias indígenas. No trecho da rodovia, pelo menos 100 manifestantes seguram faixas e cartazes contra a proposta federal – para eles, a mudança oferece grande probabilidade de precarização os serviços de saúde, atualmente federalizados.

Segundo as lideranças, os municípios não teriam capacidade de oferecer o serviço, principalmente os mais pobres, implicando na queda da qualidade da atenção básica à indígenas. As lideranças citam a Lei 9.836/99, que determina à União o subsídio do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena. Segundo os manifestantes, a mudança também poderá proporcionar o fim da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) no Ministério.

A PRF ainda não informou se a liberação da BR-060, em Nioaque, já ocorreu.

Mais notícias