Autoridades se reúnem para discutir segurança nas escolas do Estado

O objetivo é a criação do Plano Estratégico de Segurança nas Escolas

Com o objetivo de prevenir ações de violência, brigas e até fatalidades nas escolas, representantes da educação e segurança do Estado se reúnem, no Plenarinho Nelito Câmara, na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (23). Promovido pelo deputado estadual Coronel Davi (PSL), a proposto é a criação do Plano Estratégico de Segurança nas Escolas, além do diálogo de conscientização entre professores, alunos e funcionários.

No Mato Grosso do Sul já é realizado um trabalho de segurança, mas o deputado avalia que a atual situação exige maior esforço e ampliação da estrutura existente. “Estamos fazendo essa reunião com pessoas e instituições envolvidas na educação para verificar as ações que estando sendo feitas no Estado. Também, através da Assembleia Legislativa, podemos contribuir para que o MS não tenha situações bárbaras como vimos em São Paulo e no Rio de Janeiro”, afirma Coronel Davi, fazendo menção ao atendo em Suzano deste ano e Realengo em 2011.

O projeto “Escola Segura, Família Forte”, realizado pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) já atende as escolas de Campo Grande. Só nos dias letivos do mês de março, foram 603 ocorrências registradas nas unidades de educação. Dessas ocorrências, estão conflitos, abordagem à suspeitos, ameaças, porte de arma branca, posse e tráfico de drogas.

São 60 escolas atendidas pelo projeto piloto, delas, 29 são municipais e 31 estaduais. “Tivemos alguns incidentes de ameaças, que foram potencializados por causa do atentado em Suzano. É natural estarmos nos antecipando e monitorando as atividades nas escolas”, explicou o secretário titular da Sejusp, Antônio Carlos Videira.

Secretário Antonio Videira fala sobre o projeto “Escola Segura, Família Forte”. (Foto: Cleber Rabelo)

Com relação a prevenção aos casos de violência, a SED (Secretaria de Estado de Educação), atua em forma de redes, com prioridade na educação, assistência e justiça. “Nós temos o entendimento de que dentro das escolas tem que acontecer um trabalho preventivo, que aconteça a promoção de vida. Dentro desta perspectiva, já estamos fazendo um trabalho contínuo de protocolos e encaminhamentos”, detalhou Paola Nogueira Lopes, responsável pela Coordenadoria de Psicologia educacional da SED.

A reunião segue durante a tarde e pretende chegar a uma conclusão de quais medidas serão tomadas para o Plano Estratégico de Segurança nas Escolas. Só no Estado, são 20 policiais militares capacitados para esse atendimento, além de seis veículos exclusivos para o patrulhamento escolas na Capital.

Mais notícias