Publicidade

Assassinato de major em Bonito é caso isolado, segundo quem vive do turismo na cidade

Empresários e poder público defendem crime violento como caso extremamente raro na cidade

A morte do professor e major do Exército Paulo Setterval, de 57 anos, que foi assassinado com uma facada no tórax no último domingo (14) em Bonito, a cerca de 300 km de Campo Grande, é encarada como caso isolado no principal destino turístico de Mato Grosso do Sul.

O fato impactou a cidade justamente porque episódios violentos são considerados raros. “Não é a primeira vez, mas faz muito tempo que não tem algo desse tipo. Todo mundo ta em choque porque é raro. Aqui é uma cidade segura para o turista e para quem é nativo”, afirma a vendedora Ana Lúcia Guedes, de 28 anos, moradora da cidade.

Para Coinete, crime é fato isolado e não deve afetar imagem de Bonito (Foto: Arquivo pessoal)

Empresários do ramo turístico também entendem que a morte de Paulo Setterval, apesar de ser uma tragédia, não faz parte da rotina da cidade. “É claro que nós nos preocupamos com a imagem de Bonito para o mundo, mas não acreditamos que ela passe a ser retratada como um lugar inseguro a partir desse fato”, declarou Rodrigo Coinete, diretor comercial do Centro de Convenções de Bonito.

Para o empresário, os índices de segurança pública na cidade são positivos e depõem a favor de que a cidade continue sendo bem vista. “Somos uma das cidades mais seguras do Estado. Nesse momento, estamos preocupados que a polícia finalize as investigações e dê uma satisfação à família, mas não cremos que isso vai impactar a imagem da cidade. Foi algo completamente isolado”, acrescenta.

Segundo prefeito, crimes violentos são extremamente raros em Bonito (Foto: Reprodução | Facebook)

O mesmo discurso foi mantido pelo prefeito de Bonito, Odilson Arruda Soares (PSDB). Procurado pelo Jornal Midiamax, Soares destacou que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas para garantir o sossego da cidade, que há muito tempo não era cenário de crimes violentos.

“Consideramos que essa tragédia foi um fato isolado, totalmente fora da normalidade. Há muitos anos não ocorre algo assim. Não acreditamos que isso manche a imagem de Bonito, que continua sendo um dos principais destinos turísticos do Brasil. Bonito é uma cidade segura e fazemos de tudo para garantir boa estadia aos turistas e moradores”, considerou o prefeito.

Paulo Settervall foi morto no domingo (14) em Bonito (Foto: Reprodução | Facebook)

O suspeito pelo assassinato de Paulo Setterval foi preso durante a madrugada desta terça-feira (16), em frente a um hotel em Bonito, após diligências que duraram 30 horas. O delegado responsável pela investigação não forneceu mais informações, mas o suspeito seria conhecido como Bruno.

Imagens de câmeras de segurança dom hotel que flagraram o crime mostrariam o suspeito pedindo um cigarro para o major, que estava fumando no local. Quando o pedido foi negado, o rapaz desferiu uma facada no tórax de Setterval. Após cometer o crime, o suspeito teria ido até em casa e queimado algumas roupas, o que também estaria sendo apurado pela polícia.

Lama dos rios

Além da morte do turista em circunstância praticamente já elucidada pela policia civil da cidade, a região turística de Bonito, que também engloba Bodoquena e Jardim, tem sido alvo frequente de denúncias, nas quais seus principais atrativos, no caso, as águas cristalinas, tem sofrido danos ambientais.

No fim de 2018, Rio da Prata perdeu águas cristalinas e ficou enlameado. Situação já foi normalizada (Foto: Divulgação)

Em novembro do ano passado, por exemplo, o Rio da Prata, mundialmente conhecido pelas águas límpidas, ficou irreconhecível após mudar de cor e ficar completamente enlameado depois de uma forte chuva. O fenômeno aconteceu mais vezes após chuvas e acendeu sinal de alerta para atividades rurais no município.

“A repercussão gerou uma grande mobilização por parte do governo, empresários do turismo e os setores do agronegócio para efetivamente achar uma solução, fazer um manejo correto do solo, das estradas. Estamos mais vigilantes que nunca para resolver a questão”, aponta Rodrigo Coinete, que é ex-presidente do Bonito Convention Visitors Bureau, entidade dedicada a atrair eventos para a cidade.

O prefeito também destacou que o município está tomando providencias. “Estamos fazendo tratativas para resolver essa questão, mas o rio já está normalizado”, finalizou Soares.

Mais notícias