Após transportar até corpos pela escada, servidores condenam elevadores do HRMS

Problemas em elevadores do HRMS ocorrem há anos e solução seria substituição

Os problemas funcionais dos elevadores do HRMS (Hospital Regional Rosa Pedrossian) seriam frequentes e apenas a manutenção não estaria sendo suficiente para evitar transtornos como os ocorridos no domingo (8). Nessa data, a liberação do corpo de pacientes que morreram no hospital foi dificultada pela impossibilidade do transporte pelos elevadores de serviço. Com isso, o Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer o transporte dos corpos.

Outras denúncias revelam que nos últimos dias, pacientes também tiveram dificuldade de ter acesso a tratamento nos andares estratégicos do HRMS, como a UTI cardiológica, Centro Cirúrgico e UTI infantil, porque a maca de transporte não entrava nos elevadores de serviço. Relatos obtidos pela reportagem também reforçam que o problema com os elevadores é recorrente e ocorre há vários anos, o que aponta para a necessidade de que os equipamentos sejam inteiramente substituídos.

“Estou há mais de dez anos no Regional e esse problema do elevador enguiçar sempre aconteceu. Mas, nunca aconteceu tanto quanto agora. Só fazer a manutenção já não serve porque eles precisam ser trocados. Cada vez que a gente precisa subir com um paciente tem essa tensão”, declarou uma funcionária do HRMS.

O presidente do Sintss-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social) confirmou veracidade das denúncias. Segundo Ricardo Bueno, a vida útil dos equipamentos já foi atingida e a situação agrava o caos enfrentado pelos trabalhadores do hospital.

“Não é um parecer técnico, mas é fato que eles são muito antigos e que precisam ser substituídos. É algo que já foi amplamente comentado desde as gestões passadas, pelos próprios diretores. Só o prédio do HRMS tem 22 anos, então esses equipamentos devem ser ainda mais antigos. Muitas vezes, a empresa faz a manutenção e no mesmo dia eles voltam a estragar. A manutenção se tornou um paliativo inútil”, aponta Ricardo Bueno, presidente do Sintss-MS. “Assim, a situação dos trabalhadores fica pior. É ficar de mãos atadas. Às vezes há uma vaga nos andares de UTI, mas não tem como levar o paciente”, comenta.

Procurada pela reportagem, a assessoria do HRMS informou que um dos elevadores de serviço voltou a funcionar ainda no domingo (8), após manutenção realizada no mesmo dia, e mais um equipamento também estaria passando por manutenção. “Quanto às reformas necessárias nos elevadores, informamos que o processo administrativo esta em fase de conclusão, e assim que finalizado, as reformas nos elevadores serão  iniciadas”, conclui a nota.

Mais notícias