Após reportagem, Consórcio Guaicurus é notificado sobre cortes em tabelas

Motoristas estariam sendo orientados a 'esticar' os intervalos nos pontos finais de parada

Uma reportagem do Jornal Midiamax denunciou nesta terça-feira (19) que o Consórcio Guaicurus estaria fazendo ‘manobra’ para cortar tabelas de ônibus. Os motoristas estariam sendo orientados a ‘esticar’ os intervalos nos pontos finais de parada nos fins de semana, aumentando o tempo de espera dos usuários. Depois das denúncias, a Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos) notificou a empresa de transporte coletivo.

O diretor-presidente da agência de regulação, Vinícius Leite Campos, diz que o Consórcio deve receber a notificação ainda nesta quarta-feira (19) para justificar o suposto corte nas tabelas. Vale lembrar que um inquérito no MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) investiga por que Agereg teria liberado Consórcio Guaicurus de pagar 2200 multas.

A denúncia publicada nesta terça-feira (18) pelo Midiamax aponta que o Consórcio estaria desligando o GPS para mascarar a mudança nas tabelas de ônibus, já que o aparelho identifica onde os veículos estão nos aplicativos. Recentemente, outra reportagem identificou cortes em mais de 20 linhas da cidade, o que impactaria nos clientes de bairros mais distantes que sofrem com a longa espera.

“Com menos tabelas, uma linha tem menos ônibus rodando e passa menos vezes em cada ponto de parada. Assim, os carros andam mais cheios, e os empresários economizam. Mas, para a gente que trabalha, e principalmente para o passageiro, só vai piorar”, explicou um motorista.

Reportagem do Jornal Midiamax publicada neste mês também listou 10 situações flagradas no transporte público da Capital em que a empresa, detentora do contrato, poderia ser punida, mas não foi. Além disso, Consórcio Guaicurus recebeu duas autuações do Procon-MS por atrasos e a multa poderia chegar a R$ 100 mil.

Segundo vereadores ouvidos pelo jornal, a postura dos empresários tem sido de total desprezo para com a fiscalização. O presidente da Comissão de Transporte da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador Júnior Longo (PSB), acredita que a Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos) deve manter essa postura mais firme com relação ao Consórcio Guaicurus.

São inúmeros os problemas enfrentados pelos usuários no transporte coletivo da Capital, mas os cadeirantes sofrem ainda mais. Reportagem mostrou o que os cadeirantes sofrem e enfrentam no dia-a-dia com os elevadores dos ônibus estragados. De acordo com relatos, alguns cadeirantes já chegaram a sofrer quedas enquanto eram carregados.

(Colaborou Vinícius Costa)

Mais notícias