Após pedir vaga em creche porque precisa trabalhar, mãe será acompanhada pela SAS

Família recebeu um colchão, cesta básica e cobertor e agora será assistida pelo CRAS da região

Andressa dos Santos Silva, 25 anos e os cinco filhos que dividem uma cama e vivem em um barraco de 12m² no bairro Jardim Noroeste, receberam a visita da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), e será assistida pelo CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Margarida Simões Correia Neder – Estrela Dalva, do bairro Jardim Futurista.

De acordo com a SAS, após a reportagem do Jornal Midiamax, elas realizaram a visita no primeiro horário desta segunda-feira (24), e levaram uma cesta básica, um colchão e cobertor para a família que já é cadastrada no programa do Bolsa Família.

A partir de agora  Andressa e os filhos serão assistidos pelo município através do CRAS, com benefícios eventuais como a cesta básica, além de inscrição no cadastro único para programas federais de assistência e atendimento psicossocial.

Sobre a possibilidade de vaga na creche para os três filhos de Andressa que estão fora da escola, a secretaria informou que o próprio CRAS se encarrega de agilizar as vagas junto à rede municipal de ensino. E caso haja necessidade, o centro faz o encaminhamento da demanda para outras secretarias.

Uma cama para seis

Há aproximadamente cinco meses, Andressa foi abandonada pelo marido. O homem identificado como Vicente Pereira dos Santos Júnior, saiu para trabalhar e nunca mais voltou, deixando a mulher grávida de oito meses da filha mais nova e com mais quatro crianças pequenas.

Segundo Andressa, na época eles moravam em outra área ocupada, mas quando a filha mais nova, completou seu primeiro mês de nascida, e há três meses abandonada pelo marido, o dono do local pediu que eles saíssem.

“Nós achamos essa área, limpamos construímos o barraco e estamos aqui há três meses. Até o dono pedir para sairmos novamente”, disse.

As duas filhas mais velhas de Andressa atualmente frequentam a escola, Maria Isabel tem 8 anos e está matriculada no 3º ano do ensino fundamental. Maíra tem 5 anos, e faz a pré-escola. Mas os três menores  – Mateus de 4 anos, Maikeli de 2 anos e a pequena Andreza de 4 meses – ficam em casa com a mãe.

Andressa e os cinco filhos. Foto: Leonardo de França

“A gente não consegue vaga na creche, como que faz com as crianças? Eu não trabalho desde que a mais velha era pequena. É difícil. Mas antes tinha meu marido trabalhando. Agora somos só nós seis, e eu não tenho emprego”, contou ao Jornal Midiamax.

No barraco de 12m², onde vive com os filhos, em tempos de frio Andressa se aninha com os cinco na cama improvisada com os dois únicos cobertores que a família tem. O banho é de balde e gelado mesmo, e quando precisam do banheiro para suas necessidades ela corre até a casa da irmã que fica algumas quadras dali.

“A gente se vira para deixar pelo menos eles quentinhos. A gente sente um pouco de frio, mas pelo menos eles ficam quentinhos. O banho é gelado mesmo. A gente só tem essa torneira aqui de fora. Não tem chuveiro não. O banheiro a gente usa da minha irmã ali embaixo”, explicou.

O pedido de socorro ao Jornal Midiamax, veio pelo tio de Andressa. Um baiano que chegou em Campo Grande ainda bebê. Vendo a situação da sobrinha, sem ter o que dar para as crianças comerem, se desesperou.

Quem puder ajudar a família, pode entrar em contato com o tio de Andressa pelo (67) 9 9650-9089.

Mais notícias