Mistério: Após morte de peixes, análise da água de córrego deve sair em até 10 dias

Medidas deverão ser tomadas após o prazo de análise

A análise da qualidade da água do Córrego Segredo, que será feita pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), na Avenida Ernesto Geisel, deve demorar até 10 dias para ficar pronta. Os resultados dos exames devem indicar o que causou a morte de dezenas de peixes que viviam na região.

Técnicos laboratoriais tanto da Semadur, quanto do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) foram designados até o córrego para realizarem coleta e darem início a análise. O resultado deve ser tomado pela secretaria e posteriormente, deverão tomar as devidas providências.

Para o biólogo José Milton Longo, “várias atividades podem interferir” e condiciona a morte dos peixes para a falta de oxigenação da água ou até mesmo, alguma substância que teria sido jogado nas água. A correnteza das aguas das recentes chuvas também podem ter sido um fator influenciador, pois carrearam substancias para o trecho.

“Pode ser esgotamento, pode ser combustível. Ali é um trecho crítico. Ali tem muita coisa de fora da bacia, vem do entorno que pode ser fonte poluidora”, afirmou. O biólogo explica sobre a existência de vários pontos de bocas de lobo, áreas de entrada de água superficial e águas furtivas.

“Eu acho que alguma coisa aconteceu para alterar drasticamente a qualidade da água. Alguma coisa foi despejada nesse curso de trecho, pode ter vindo das bocas de lobo, por cima, mas que interferiu de alguma forma. A única forma de você justificar a morte dessa magnitude, é a falta de oxigenação da água ou por um excesso de poluente orgânico, mas demoraria mais tempo ou algum produto químico”.

Polícia Ambiental

A PMA (Polícia Militar Ambiental) acredita que as mortes tenham sido causadas pela falta de oxigênio. À reportagem, o Coronel Queiroz, da PMA, disse que os peixes que estão mortos são da espécie tilapia e considerados exóticos. Na visita ao local, ele chegou a conversar com moradores que disseram ter sentido mal cheiro visto a água esbranquiçada, mas que ainda não pode ser afirmado se algum produto químico foi despejado na região.

“A água tem um problema de oxigênio dissolvido. Agora mesmo nós tivemos vários acontecimentos como, por exemplo, as queimadas. Com isso vários materiais caem no córrego e ocorre a multiplicação de bactérias que consomem esse oxigênio”, explica.

Morte dos peixes

No início da noite desta segunda-feira (25), a cena dos peixes mortos chamou a atenção de moradores e quem passava pela Avenida Ernesto Geisel, na altura do Shopping Norte Sul. A água do Córrego Segredo mudou de cor e ainda não se sabe o que causou a morte dos animais.

Quem vive na região ou caminha pelo canteiro da avenida, que está em obras, conta que ultimamente a água do trecho entre as Ruas Bom Sucesso e em frente ao shopping estava totalmente transparente e favorecia a reprodução de cardumes. Nesta segunda, no entanto, a cor mudou completamente.

Mistério: Após morte de peixes, análise da água de córrego deve sair em até 10 dias
Mais notícias