Após crise boliviana, russos desistem de comprar UFN3 em Três Lagoas

Petrobras emitiu comunicado informando sobre o fim das negociações

Em comunicado publicado nesta terça-feira (26), a Petrobras anunciou que encerrou as negociações para venda da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nirogenados), localizada em Três Lagoas, para grupo o grupo russo Acron Group. A obra da fábrica está paralisada desde 2014 com 80% da estrutura pronta.

O negócio não teve sucesso e, conforme a Petrobras, outro negócio que não foi pra frente com o mesmo grupo era a vanda de 100% da participação acionária na Ansa (Araucária Nitrogenados S.A.), localizada na cidade de Araucária, no Paraná.

Apesar de não ter havido efetivação da venda, a empresa afirma que permanece com os negócios em aberto para a venda das duas unidades em razão do “posicionamento estratégico de sair integralmente dos negócios de fertilizantes, visando à otimização do portfólio e à melhora de alocação do capital da companhia”.

Acredita-se que o fracasso das negociações tenham relação com a crise na Bolívia, agravada após renúncia de Evo Morales. O país vive instabilidade política e novas eleições devem ser convocadas. Antes da saída de Evo, o grupo russo assinou acordo que previa a criação de uma companhia em parceria com a Bolívia para venda da ureia que seria produzida na UFN3, em Três Lagoas.

Com a saída de Morales, contudo, o país desistiu do acordo e disse que priorizará a distribuição de gás natural e não mais nos negócios envolvendo ureia. Com isso, o grupo russo desistiu do negócio e mais uma vez a estrutura da Petrobras permanecerá ociosa.

Mais notícias