Após vazamento de circular, Prefeitura diz que discute mudança em plantões da Sesau

A ideia é que o pagamento seja feito até o 5° dia útil e os plantões sejam pagos em outro dia do mês

Uma circular interna foi divulgada entre funcionários da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) nesta quarta-feira (31) com a informação de que o pagamento dos salários e dos plantões seriam desvinculados. De acordo com o documento, os salários seriam pagos até o 5° dia útil e os plantões até o 10° dia útil. A informação deixou os trabalhadores descontentes, mas a Prefeitura afirma que o assunto ainda está em discussão.

O secretário Municipal de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, informou ao Jornal Midiamax que a discussão sobre a separação dos pagamentos dos salários e plantões ainda é uma questão interna. Segundo ele, nada foi definido ainda, mas é uma possibilidade.

Segundo Pedrossian Neto, a obrigação legal da Prefeitura é de pagar o salário até o 5° dia útil do mês, o que já é feito. “Os plantões que são feitos, nem sempre são pagos no mesmo mês, mas depois. Esta seria uma forma de organizar o pagamento”, diz.

O secretário de finanças afirma que a ideia é que o pagamento seja feito até o 5° dia útil e os plantões sejam pagos em outro dia do mês, que ainda não foi definido. Para ele, é apenas uma questão de organização financeira e, ao contrário do que diz o documento, não há crise financeira na Prefeitura. Já a Sesau informou que o salário sai do tesouro, mas alguns plantões são frutos de convênios com o SUS (Sistema Único de Saúde), ou seja, como são de verba federal, saem em outra data.

Com a divulgação da circular que tratava sobre a desvinculação dos pagamentos dos salários e plantões, o SIOMS (Sindicato dos Odontologistas de Mato Grosso do Sul) emitiu uma nota afirmando quer o departamento jurídico tomará as medidas necessárias. Segundo o sindicato, os servidores não podem sofrer com os prejuízos em seus salários, que seriam pagos de forma parcelada, uma vez que os plantões não poderiam ser desvinculados dos salários.

Mais notícias