Amigos lamentam falecimento de Rubens Catenacci, referência na pecuária brasileira

Pecuarista faleceu na madrugada desta terça-feira (23)

O falecimento do pecuarista Rubens Catenacci, 74, que faleceu na madrugada desta terça-feira (23) em Curitiba (PR), trouxe diversas manifestações de pesar de amigos, colegas de trabalho e demais pessoas de seu convívio.

Uma das maiores referências no melhoramento da raça Nelore no país, Catenacci chegou a ser considerado um dos 100 brasileiros mais influentes do agronegócio e foi nomeado pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja, como Embaixador da Carne de Qualidade de Mato Grosso do Sul.

Rubens Catenacci, quando recebeu, em 2018, o prêmio de Destaques de Pecuária, na categoria Gado de Produção, das mãos de Roberto Rodrigues, Coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (Foto: Marco Ankosqui | reprodução)

Descrito por amigos como pessoa simples, Rubens Catenacci também era o ‘Rubinho’, ou melhor, ‘Rubinho Badalada’, apelido que carinhosamente foi atribuído ao pecuarista após o enorme sucesso da vaca Badalada, uma das matrizes de Nelore mais famosas e bem sucedidas do país.

“Tive convivência de quase 30 anos com o Rubinho, isso desde que ele começou a trabalhar com gado Nelore. O Rubinho foi, sem dúvidas, um dos mais importantes nesse segmento, fez muito sucesso e foi muito premiado. Mas além disso, ele era uma pessoa muito querida. O Brasil perdeu um líder, um entusiasta”, considera Carlos Nunes, o ‘Carlota’.

Segundo os amigos, Rubens tinha adoração por Figueirão, uma das regiões nas quais o pecuarista trabalhava. É lá onde fica a Fazenda 3R, propriedade de Catenacci. “Quando ele ia para lá, ele dizia: ‘vou para as abençoadas areias santas do Figueirão’. Além disso, ele também atuou em Camapuã, colocou a cidade num patamar nacional depois que passou a trabalhar com bezerros”, acrescenta Nunes.

Catenacci, durante recebimento do Titulo Honorífico de Embaixador da Carne em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação | Governo do Estado)

Ex-presidente da Nelore MS (Associação Sul-Mato-Grossense dos Criadores de Nelore) e atual membro da diretoria executiva da associação, o pecuarista Guilherme Bumlai também lamenta a partida de Rubens, com quem Bumlai afirma tertido o privilégio de tê-lo na diretoria da entidade.

“Rubens Catenacci foi um grande entusiasta da raça Nelore, empregando tecnologias e desenvolvendo o melhoramento genético que culminou com o reconhecimento de melhor produtor de bezerro do Brasil. Ele prestou um grande serviço a pecuária brasileira”, considera.

A Fazenda 3R, de Catenacci, foi palco do projeto-piloto do Programa Carne de Zebu, da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Ano passado, o produtor recebeu o Mérito ExpoGenética, que o homenageou como o melhor produtor de carne zebu do país.

Sócio-Fundador do Jornal Midiamax e agropecuarista, Carlos Naegele considera o trabalho de Rubens durante a vida de suma importância para o melhoramento genético da raça nelore. “Além dele ser um criador de gado competente, avante do seu tempo, ele era um apaixonado pelo que fazia”, afirma.

Falecimento

Rubens Catenacci faleceu na madrugada desta terça-feira (23), vítima de complicações cardíacas e respiratórias, em Curitiba (PR). O velório está previsto para ter início nesta terça-feira, a partir das 15h, no Cemitério Parque Iguaçu, em Curitiba (PR), e o enterro será na quarta-feira (24).

Mais notícias