Agetran adianta que novo contrato pode reduzir ainda mais frota de ônibus em Campo Grande

Segundo Janine Bruno, tendência diminuir em 15% frota que já é considerada péssima pelos passageiros

Um novo contrato para transporte coletivo urbano pode ter redução de 15% na frota de ônibus em Campo Grande, conforme apontou nesta terça-feira (7) o diretor-presidente da (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Janine de Lima Bruno.

Segundo o diretor-presidente, essa redução na frota seria proporcional à queda no número de usuários, que diminuiu cerca de 15%, segundo estimativa da . “Esta tendência é nacional e está acontecendo aqui também, principalmente após o aumento dos aplicativos de mobilidade”, disse Janine.

Polêmicas envolvendo o serviço de transporte coletivo na Capital, principalmente a qualidade da frota de ônibus, são frequentes. No início do mês, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirmou que o – detentor do contrato para execução do serviço – teria prazo de 15 dias para efetuar substituição de quase 50 ônibus vencidos.

De acordo com processo fiscalizatório inciado em 2017 pela Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos), são 48 veículos vencidos e 80 ônibus prestes a vencer. Caso o Consórcio não efetue a substituição dentro do prazo, poderá sofrer multa de R$ 2,7 milhões por desobediência de contrato.

Agetran adianta que novo contrato pode reduzir ainda mais frota de ônibus em Campo Grande
Mais notícias