Aeronave de MT vai auxiliar bombeiros no combate a novos incêndios no Pantanal

Equipe do Corpo de Bombeiros trabalha para tentar anular os focos de incêndios surgidos em Corumbá, na planície pantaneira

Desde a madrugada do último sábado (26), uma equipe do Corpo de Bombeiros trabalha para tentar anular os focos de incêndio surgidos em Corumbá, na planície pantaneira. Devido a volta desses pontos complicados, uma aeronave do governo de Mato Grosso será utilizada para ajudar no combate ao fogo. A afirmação foi dada pelo Secretário da Semagro (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção de Agricultura Familiar), Jaime Verruk, na manhã desta segunda-feira (28), durante a abertura do 7º Wildfire.

“O governo de Mato Grosso trouxe a aeronave para ser exposta no evento, está estacionada na Base Aérea de Campo Grande, e colocou a nossa disposição para ajudar nos trabalhos. Já conseguimos o querosene com uma fazenda da região, cujo incêndio se aproxima, portanto vamos mobilizar para fazer essa ação. Além disso, hoje pela manhã, o helicóptero do Corpo de Bombeiros sobrevoou a área a fim de fazer o monitoramento e mapear os pontos com fogo”, disse Jaime.

Neste domingo (27), o fogo se espalhou e chegou na rodovia BR-262. Ao todo, dez homens foram destacados pelo Corpo de Bombeiros para a missão. De acordo com o site do Governo de MS, o sargento do Bombeiro Militar André Marti estima que, no mínimo, 100 quilômetros quadrados tenham sido queimados.

Fogo no Paiaguás

O Sindicato Rural de Corumbá manifestou-se nesta segunda-feira (28) devido a retomada das queimadas no Pantanal e informou que vai sugerir ao Governo do Estado a construção de uma ponte de concreto na vazante do Areião, destruída pelo fogo.

O presidente da entidade, Luciano Aguilar Leite, disse que a falta de chuvas aumentou o risco de grandes incêndios, depois da situação de controle alcançada em setembro. Citou que o fogo se alastra pelo Pantanal do Paiaguás, ocasionando a morte de bovinos e animais silvestres.

“Já comunicamos a situação para o Ibama e para o Corpo de Bombeiros do Estado e a única solução para combater esse fogo é por avião. É uma região sem acesso por terra, apenas por lanchas, e o fogo já atingiu pelo menos cinco fazendas”, explicou.

Mais notícias