Acadêmicos da UFGD abraçam logo da universidade em protesto contra nova reitora

Mirlene Ferreira Damazio foi nomeada como reitora interina da instituição pelo MEC na semana passada

Acadêmicos da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) fizeram uma manifestação na manhã desta segunda-feira (17) contra a nomeação feita pelo MEC (Ministério da Educação) que instituiu Mirlene Ferreira Damazio como reitora interina da universidade. No ato os alunos abraçaram a logo da instituição.

De acordo com informações do Dourados News, a manifestação ocorreu na Unidade I da UFGD, localizada em Dourados – a 228 km de Campo Grande. Os alunos alegam que a nomeação da reitora seria uma intervenção direta do MEC na instituição, já que Mirlene não estava entre os nomes da lista tríplice encaminhada após eleição da universidade.

Na eleição, o campeão de votos foi Etienne Biasotto como reitor e Claudia Lima de vice. Após o pleito a instituição encaminhou lista com o nome do vencedor e de mais dois concorrentes, o segundo e o terceiro colocado na eleição, para escolha do MEC, porém, o Governo Federal decidiu nomear Mirlene Damazio, que não estava entre os candidatos. A decisão foi publicada na terça-feira (11), no Diário Oficial da União, pelo ministro Abraham Weintrab.

A decisão teria sido tomada após judicialização da lista tríplice por parte do MPF (Ministério Público Federal), que afirma que houve comprometimento da lisura na seleção dos candidatos do Colégio Eleitoral.

Em maio, a Justiça acatou o pedido para a suspensão da lista tríplice para os cargos de reitor e vice-reitor da universidade. O Ministério Público apontou que a conduta dos professores foi antiética na eleição, ao incluir nomes que não expressavam a vontade e a escolha da comunidade acadêmica.

Depois, entretanto, o juiz federal Moises Costa Rodrigues da Silva, da 1ª Vara Federal de Dourados, reformou decisão e liberou a escolha do novo diretor da UFGD por meio de lista tríplice. Na decisão desta semana, o juiz afirma que decidiu fazer um “juízo de retratação” por uma série de fatores, entre eles de que a universidade elaborava a lista tríplice por meio de escolha da comunidade escolar várias vezes.

Na manifestação desta segunda-feira, além do abraço, os acadêmicos lotaram a entrada da reitoria de balões da cor laranjas e faixas com dizeres de rejeição à reitora.

Ainda segundo o Dourados News, durante a manifestação os alunos gritavam: “Fora Mirlene”, “Reitor eleito é reitor empossado”, “Fora Golpista”, “Não, não, não à intervenção” e “Mirlene, preste atenção, pra ser reitora tem que ganhar eleição”.

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria de imprensa da UFGD para comentar o assunto, porém a universidade afirmou que ainda não soltará comunicado. Assim que a instituição tiver uma posição, porém, ela será acrescentada nesta matéria.

Mais notícias