Abril registrou redução de 1,3 mil notificações de dengue em Campo Grande

Apesar da redução, Campo Grande está entre cidades com risco de surto de acordo com Ministério da Saúde

O mês de abril terminou com uma redução de 1,3 mil casos notificados de dengue em Campo Grande. O boletim epidemiológico divulgado pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) mostra que no mês de março foram registradas 9.721 notificações, já em abril o número caiu para 8.396 notificações.

O resultado reflete a estagnação no avanço da epidemia de dengue, mas a Sesau deve continuar com as ações para baixar o número de casos da doença. Desde o início do ano, foram registradas 27.417 notificações de dengue na Capital, com 4,7 mil casos confirmados e seis mortes. Também transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, a zika registrou 301 casos e a chikungunya 145 casos.

Para o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, o resultado é reflexo das ações de enfrentamento, mas apesar da redução, o trabalho deve continuar. “Mesmo esperando uma redução no número de casos, continuaremos intensificando as ações e reforçamos o alerta à população de que se mantenham vigilantes. O trabalho de combate ao mosquito da dengue deve ser permanente e mesmo que os números sejam positivos, não podemos baixar a guarda”, comentou.

Os bairros Jardim Noroeste, Centro-Oeste, Chácara dos Poderes, Nova Campo Grande, Los Angeles, Moreninhas, Veraneio e Maria Aparecida Pedrossian, respectivamente, apresentam os maiores índices de notificação da doença.

Cidades em risco de surto

Apesar da redução, na última terça-feira (30), o Ministério da Saúde informou que Campo Grande está entre os 994 municípios com risco de surto para as doenças dengue, zika e chikungunya. O alerta do Ministério da Saúde é que sejam reforçados os sistemas de vigilância nos estados e municípios sob o aviso.

Além de Campo Grande, outras 15 capitais estão em alerta: Fortaleza (CE), Porto Velho (RO), Palmas (TO), Salvador (BA), Teresina (PI), Recife (PE), Belo Horizonte (MG), Vitória (ES), São Luis (MA), Belém (PA), Macapá (AP), Manaus (AM), Maceió (AL), Aracaju (SE) e Goiânia (GO).

Mais notícias