Sobrecarga da enfermagem da Santa Casa preocupa Justiça do Trabalho

Maioria dos acidentes ocorrem nas últimas horas do turno

Um dos locais que mais notificam acidentes de trabalho em Mato Grosso do Sul, a Santa Casa de Campo Grande recebeu visita técnica promovida pela Justiça do Trabalho, MPT (Ministério Público do Trabalho), Ministério do Trabalho e Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) nesta segunda-feira (2).

A equipe visitou os setores de Pronto Socorro e ortopedia, além do setor de notificações da Santa Casa. De acordo com o Juiz do Trabalho, Márcio Alexandre da Silva, a área da enfermagem chama a atenção devido à sobrecarga de trabalho. Os técnicos de enfermagem estão entre as funções que mais registram acidentes no ambiente profissional em Mato Grosso do Sul, com 367 casos em 2017.

O juiz justifica que o cansaço agrava a falta de atenção e a Santa Casa deve se atentar aos turnos de trabalho, principalmente nos plantões. “Nós notamos que o número de acidentes se agrava nas últimas duas horas do turno dos profissionais, e muitas vezes estes acidentes se dão com objetos perfurocortantes, como agulhas e bisturis”, explica. O procurador do MPT, Leontino Ferreira, afirma que o número de enfermeiros também deve ser verificado. “Nós tivemos notícia de que há um número insuficiente de profissionais em comparação ao número de pacientes”. A Diretoria do hospital nega a informação e afirma que o número de trabalhadores está de acordo com as normas. 

Ainda com relação aos técnicos de enfermagem, o juiz afirma que a Santa Casa deve melhorar a fiscalização no uso de equipamentos e o protocolo de atendimento aos pacientes psiquiátricos. Segundo uma das enfermeiras do hospital, parte dos acidentes acontecem quando os pacientes estão alterados, equipe tem dificuldades de contê-lo e até chegam a ser agredidos. A chefe de enfermagem do Pronto Socorro alega que o hospital não faz o tratamento de pacientes com problemas psiquiátricos, os que chegam ao local são encaminhados para locais especializados, como o Caps (Centro de Apoio Psicossocial).

O diretor administrativo da Santa Casa, Marcelo Frazão, afirma que o hospital já tinha conhecimento sobre o número de acidentes de trabalhos na Santa Casa. Segundo ele, a diretoria pretende implementar medidas e seguir as recomendações da equipe de vistoria para evitar que os acidentes aconteçam. A Santa Casa de Campo Grande é a terceira empregadora com o maior número de acidentes em 2017, com 194 registrados. De acordo com o juiz do trabalho, isto não quer dizer que o hospital seja o maior causador de acidentes. “A Santa Casa tem números altos porque notifica os acidentes, uma atitude correta a se fazer. Muitas empresas não notificam os casos”, afirma.

Mais notícias