Sem incorporação de abono, servidores da educação protestam na ALMS nesta terça

Pedido é para que projeto do Executivo seja votado em regime de urgência

Servidores estaduais que trabalham nos setores administrativos da educação promovem, a partir das 9h desta terça-feira (3), ato na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) contra o governo do Estado.

De acordo com Sueli Veiga, presidente em exercício da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), o objetivo do ato é sensibilizar os parlamentares na articulação da incorporação da primeira parcela do abono salarial da categoria.

Em abril deste ano, servidores administrativos da REE (Rede Estadual de Ensino) deflagraram greve pedindo reajuste e incorporação de um abono de R$ 200 ao salário-base.

Após 4 dias, os trabalhadores retomaram as atividades após assinarem acordo com o governo, no qual ficou acertado que o abono seria incorporado em duas parcelas, a primeira para outubro e a segunda para maio de 2019.

Para ter efeito, um projeto de lei que oficializasse a incorporação deveria ser enviado à Assembleia Legislativa antes do período eleitoral. Todavia, como o acordo descreve que a incorporação estaria condicionado ao limite prudencial de gastos com pessoal – índice que foi extrapolado em junho – a matéria não foi enviada à Casa de Leis.

“Vontade política”

De acordo com Sueli Veiga, a manifestação quer denunciar que faltou vontade política do atual governo e sensibilizar deputados a interferirem na questão. Na última quinta-feira (28), segundo a Fetems, 11 parlamentares já teriam assinado carta de apoio aos administrativos.

“Falta vontade política. O governador poderia tomar outras medidas, mas não houve essa preocupação. Pelo contrário: a SED (Secretaria de Estado de Educação) não teve cuidado com isso. Houve celebração de novos contratos, nomeações e abertura de processos seletivos. Nossa expectativa é que os deputados consigam interferir junto ao governo, de forma a encaminhar em regime de urgência o projeto de lei para votação e os administrativos passem a receber o abono acordado em outubro”, completa Sueli.

Na sequência do ato, ainda na ALMS, a Fetems realiza assembleia geral extraordinária com os administrativos, a qual tratará da pauta única de encaminhamentos da mobilização da categoria.

Mais notícias