Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Restaurante universitário da UFMS funciona sem licença sanitária

Irregularidades interferem na manipulação dos alimentos

Além das inúmeras reclamações sobre a qualidade da comida oferecida aos alunos, o restaurante universitário da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) está funcionando sem licença sanitária. É o que apontou auto de infração gerado pela Vigilância Sanitária após inspeção realizada no dia 7 de março nas dependências do restaurante.

Caso as diversas irregularidades constatadas pelos fiscais da Prefeitura da Capital não sejam sanadas, o restaurante poderá ser interditado e a empresa multada administrativamente. A multa varia de R$ 100 a R$ 15 mil.

Os fiscais verificaram que o restaurante “não implementou adequadamente as boas práticas de manipulação dos alimentos”, conforme preza a legislação sanitária vigente. Segundo as autoridades, a cozinha do restaurante não conta com portas e janelas, o que possibilita a entrada de vetores nos alimentos.

No momento da inspeção, os fiscais também constataram que “o lavatório de mãos da área quente da cozinha e da área de preparo de saladas não possuía saboneteira nem papeleira”, o que inviabilizava a higienização dos funcionários da empresa.

Além disso, os fiscais encontraram o banheiro masculino “sujo, desorganizado e com mau cheiro”, além de não dispor de papel toalha para higienização das mãos. Os espelhos de tomada haviam sido retirados e a fiação estava exposta, conforme o auto de infração.

Documento da universidade ao qual o Jornal Midiamax teve acesso, também evidencia que a empresa vem descumprindo alguns procedimentos padrões de manipulação e asseio do local e dos alimentos.

“As irregularidades verificadas na instalação física funcional atual lesam o trabalho dos manipuladores, e o ambiente torna-se propício a possíveis acidentes, possibilitando também a entrada de vetores e pragas urbanas por causa das portas e janelas externas que se conectam diretamente com a cozinha, estarem sem proteção ou em estado de corrosão”, diz trecho do documento.

Outro lado

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato, por telefone, com representantes da Industrial Foods, empresa terceirizada que administra o restaurante, e questionou a suposta inexistência da licença sanitária, apontada pelos fiscais da Prefeitura. Em resposta, a empresa alegou que a informação que consta no auto de infração da Vigilância Sanitária não procede.

Sobre as inúmeras irregularidades estruturais, a empresa disse que o espaço está passando por reformas e que a obrigação da instalação de telas para as janelas da cozinha é da UFMS. Em relação as condições do banheiro masculino, a empresa afirmou que a informação é inverídica.

Em nota, a universidade informou que tomou conhecimento do laudo emitido pela Vigilância Sanitária na última sexta-feira (16), ao final do dia, e que o auto de infração, ao qual a empresa nega a existência, foi anexado ao processo que já está sendo analisado pela Procuradoria Jurídica da instituição.

Você pode gostar também