Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Professores fazem paralisação em cidade do interior e pedem valorização da carreira

Categoria afirma que salários têm diferença é de R$ 12 para professores com curso superior

Os professores da rede municipal de educação do município de Santa Rita do Rio Pardo, a 267 km de Campo Grande, fizeram uma paralisação nesta quarta-feira (13). Os professores pedem à Prefeitura da cidade uma valorização dos salários para professores com curso superior.

Leandro Gusmão Hamamoto, de 38 anos,  é professor há  oito anos. Formado em Educação Física, ele afirma que a diferença do piso salarial de professores com curso superior e profissionais ainda em formação é mínima. “Temos uma diferença de 1% entre o professor formado e o não formado, isso equivale a R$ 12,28. A nossa luta é para valorizar o profissional que estudou para dar aulas, uma diferença de no mínimo 1,5%. Isto é muito pouco? Sim, mas é o mínimo”, afirma. O professor informa que o piso salarial de magistério é de R$ 1.227,68, enquanto professores formados recebem o piso de R$ 1.239,96.

A Secretária de Educação do município, Kátia Cristina da Silva explica que foi feita uma negociação com os professores ainda em abril sobre o reajuste dos professores. Segundo ela, várias reivindicações foram atendidas, mas não há a possibilidade de pagar uma tabela com uma maior diferença para professores do ensino superior. “Estamos no limite prudencial de gastos com pessoal. Investimos 34% da nossa receita com educação, 78% da receita do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) é investido no pagamento da folha de professores”, diz.

Leandro considera que o valor do piso está correto, mas acredita que a valorização dos professores com curso superior é necessária. Já para Tânia Mara Garcia, de 44 anos, com licenciatura em Matemática, a paralisação ajudará a sensibilizar a sociedade e vereadores de Santa Rita do Rio Pardo. “A gente não acha que 1% é valorização para um profissional que estudou. Estamos ganhando o piso nacional, a gente achou muito pouco”.

Segundo os professores, a paralisação foi decidida em assembleia da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) no município. A paralisação aconteceu apenas nesta quarta-feira (13), mas professores planejam um novo movimento caso a reivindicação não seja atendida.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...