Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Prefeitura de Campo Grande deve manter isenção de ISS ao Consórcio Guaicurus

“Não vejo outra alternativa”, comentou o prefeito Marquinhos Trad

Em coletiva de imprensa, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) comentou nesta quinta-feira (6) que a isenção do ISS (Imposto Sobre Serviço) ao Consórcio Guaicurus deve ser mantido. A decisão ainda não foi tomada, mas ele afirma que a isenção foi uma ‘armadilha’ criada durante a gestão passada. Em 2013, a Prefeitura deu isenção do importo ao Consórcio para que houvesse uma redução de cinco centavos na tarifa.

Marquinhos justifica que o ISS impacta diretamente no reajuste da tarifa e, caso acabe com a isenção do imposto, o usuário é que pode pagar a conta. “Não vejo outra alternativa”, comentou.

Criticado pelo reajuste na tarifa do transporte coletivo, que passou de R$ 3,70 para R$ 3,95, ele afirma que o aumento estava previsto em contrato. O contrato foi assinado em 2012, com vigência de 20 anos e pode ser revisado de cinco em cinco anos. “Tem que honrar o estabelecido no contrato”, diz.

Marquinhos Trad voltou a reafirmar que só prometeu que não haveria reajuste acima da inflação para casos em que depende exclusivamente da Prefeitura, o que não é o caso do contrato de ônibus.

Isenção do imposto

Os vereadores aprovaram em fevereiro deste ano o projeto que previa isenção de ISS por mais 12 meses para o Consórcio Guaicurus. Autora da proposta, a Prefeitura alegava que a medida poderia impedir um novo aumento na tarifa do transporte público na Capital.

De acordo com o projeto encaminhado pelo município, a isenção deve ser integralmente repassada ao preço da tarifa, ‘devendo ser comprovada pela planilha de estruturação tarifária autorizada pela Agereg (Agência de regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande)’.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...