População espera cerca de duas horas na fila por vacina neste feriado

Atendimento na Praça Ary Coelho segue até 18 de maio

Aproveitando a folga do feriado, muitas pessoas procuraram o posto de vacinação implantado pela Secretaria Municipal de Saúde na Praça Ary Coelho, no centro de Campo Grande. O objetivo é reforçar a vacinação contra gripe nos grupos de risco e o atendimento é realizado das 07h30 às 16h30 e segue até 18 de maio, exceto aos domingos.

A previsão é atender cerca de 1500 pessoas apenas hoje e, de com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Mariah Barros, por conta do feriado a procura foi bem maior, tanto que o atendimento foi iniciado mais cedo, pois, já haviam pessoas aguardando mesmo antes das 7h30, contudo, o atendimento deve ser encerrado no horário previsto.

Quem pertence ao e for procurar o posto itinerante para se imunizar é preciso portar o cartão de saúde, um laudo médico, se necessário, e os profissionais da educação e outras áreas documento que comprove a ocupação, por exemplo, carteirinha de professor.

Por conta da grande procura, o tempo esperando na fila pode chegar a duas horas, como no caso de Abelino Alvez, que entra no por ser idoso, e chegou na Praça por volta de 9 horas, quando já tinham diversas pessoas aguardando, e estava na fila a mais de uma hora e meia.

Como as crianças também entram no , muitos pais aproveitaram o dia de folga para levar seus filhos para serem imunizados e, apesar da demora, alegaram ser uma boa oportunidade, já muitas vezes por conta da rotina não sobra tempo para levar as crianças nas unidades de saúde.

Além disso, no local também está sendo oferecido desde sábado (28), o teste de Hepatite C, que é voltado para pessoas a partir de 40 anos de idade ou com doenças crônicas. O atendimento segue até hoje às 17 horas desta terça-feira (1º), e espera-se atender de 200 a 300 pessoas.

O resultado do exame fica pronto em 15 minutos e quem for diagnosticado recebe orientações e é encaminhado para o CEDIP (Centro Especializado em tratamento de doenças infecto-parasitárias).

De acordo com o Ministério da Saúde, o para vacinação é composto de pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis a menores de cinco anos, gestante ou que tenham dado à luz há 45 dias, trabalhadores da saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores (público ou privado) do ensino básico, médio e superior.

População espera cerca de duas horas na fila por vacina neste feriado
Mais notícias