Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Sabotagem de pontos eletrônicos dos servidores nos postos de saúde vira caso de polícia

Prefeitura instalou equipamentos para diminuir abusos de servidores que 'sumiam' das unidades de saúde, mas 3 já foram sabotados

Pela terceira vez em pouco mais de uma semana, um ponto eletrônico localizado em uma unidade de saúde de Campo Grande foi sabotado. O equipamento localizado na UPA (Unidade Pronto Atendimento) Leblon foi vandalizado nesta quinta-feira (9) e a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) registrou um boletim de ocorrência para tentar descobrir quem está sabotando os equipamentos que têm como objetivo controlar os horários de trabalho dos servidores da Saúde.

Para evitar novos casos, a Sesau estuda a possibilidade de implantar câmeras de monitoramento para ‘vigiar’ o local. Ainda segundo a assessoria, essa medida só é possível após a realização de uma processo licitatório.

Enquanto isso não acontece, a Secretaria recorreu à Polícia Civil e registrou boletins de ocorrência de todos os casos. Além disso, a administração instaurou uma investigação interna e irá ouvir os funcionários das unidades atingidas pelo problema.

Se o autor for descoberto, pode ser punido com a exoneração. Segundo a assessoria de imprensa da Sesau, o processo que resulta nesta punição é longo e começa com o afastamento.O Ministério Público também foi comunicado sobre os casos.

O ponto eletrônico para médicos e todos os funcionários da Saúde começou a funcionar no dia 1º de Agosto em 25 unidades de saúde.  A medida atende a uma determinação do Juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, David de Oliveira Gomes Filho, que determinou a implantação de pontos em todas as unidades.

Segundo assessoria de imprensa da Sesau, o ponto da UPA Leblon foi danificado no leitor biométrico e uma equipe foi até o local para fazer a perícia e verificar se existe a necessidade de troca.

O primeiro ato de vandalismo aconteceu no CEM (Centro de Especialidades Médicas) na primeira semana que o equipamento foi instalado, no local a perícia foi feita e o equipamento funciona normalmente.

Outro caso aconteceu na tarde de quarta-feira (8) na UPA do Coronel Antonino, o leitor biométrico foi danificado aparentemente, com o uso de um objeto pontiagudo. E além disso foi aplicado um líquido semelhante a cola. Neste caso, a perícia já foi realizada e o equipamento deve voltar a funcionar na sexta-feira (10).

Povo Fala

Uma funcionária da UPA Leblon que não quis se identificar, informou que de manhã o ponto estava funcionando normalmente e, que tinha ouvido falar da sabotagem pelos corredores.

Os usuários da unidade dizem achar um absurdo, pois, prejudica o atendimento. Para Eudis Eduardo, 21 anos, isso é um desrespeito.

“Isso prejudica o atendimento, a gente chega aqui morrendo de dor e tem que esperar horas para ser atendido” comentou indignado.

Janaina de Oliveira, de 19 anos, tem um bebê e sempre recorre ao atendimento no Leblon, ela conta que isso prejudica, pois, os funcionários podem ir embora no meio do expediente ou ate mesmo não ir trabalhar, complicando assim o fluxo para quem precisa.

Foto: Divulgação

(Matéria editada 17h37 para acréscimo de informações)

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...