Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Médico pede exoneração e UBSF fica com apenas um profissional atendendo

A saúde básica em MS também foi prejudicada com a saída dos médicos cubanos do Mais Médicos

Com escala de atendimento para três médicos, a UBSF (Unidade Básica Saúde Familiar) do Jóquei Clube conta apenas com um profissional para atender à população depois de um deles pedir exoneração. Prefeitura Municipal informou que haverá mais convocações de médicos temporários para sanar o déficit.

Os moradores disseram ao Jornal Midiamax que têm enfrentado dificuldades para marcar consultas e que apenas há uma prévia para a agenda de fevereiro de 2019. A reportagem a assessoria de imprensa da prefeitura disse que, de fato, apenas um médico está atendendo por um pediu desligamento e o outro está de férias.

Na unidade, foi informado que os agendamentos de consultas são realizados diariamente de manhã e à tarde, além de atender a demanda espontânea por meio da escuta qualificada.

“A Sesau tem trabalhado para substituir o profissional que exonerou-se. Para tanto, realiza frequentemente a convocação de médicos inscritos no Cadastro Temporário […] No caso do profissional de férias, não é possível substituir a vacância momentânea, pois não é compatível com a legislação.”

Segundo a Prefeitura Municipal, na última convocação do Cadastro Temporário, 38 profissionais foram chamados.

Mais Médicos

O Programa Mais Médicos impacta diretamente na saúde básica do Mato Grosso do Sul. No interior, em Alcinópolis e Figueirão estão sem médicos na atenção básica depois do desligamento dos médicos cubanos do Mais Médicos.

Para dar continuidade nos atendimentos, a Secretaria Municipal de Saúde de Figueirão segue encaminhando pacientes da unidade básica para o Hospital Municipal. Segundo o secretário André Targin, um novo médico do programa já havia sido selecionado, no entanto, quando foi chamado para ir trabalhar na cidade pelo Mais Médicos, abdicou da sua vaga.

A desistência do profissional em ir atender os pacientes da cidade acabou sobrecarregando o hospital da cidade e a prefeitura já estuda novas medidas caso um novo médico não seja selecionado até o próximo da 14 de dezembro.

“Caso não venha outro médico, pensamos em deslocar um médico do hospital para atender na unidade básica, aí vamos ter que pagar hora extra e etc”, disse André a reportagem.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...