Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Mais de 24 mil buracos já foram tapados após início dos trabalhos, diz Prefeitura

Foram 17 dias úteis de serviços

Após a assinatura da ordem de serviço para as empresas habilitadas na licitação, 24.220 buracos foram tapados, segundo comunicado da Prefeitura de Campo Grande. Equipes trabalham em todas as regiões da cidade, com prioridade nas chamadas vias arteriais (de maior movimento) e as que servem de itinerário ao transporte coletivo.

Nesta terça-feira (17), por exemplo, 23 equipes estão trabalhando em bairros como Moreninhas, Jockey Club, Vila Glória, Vila Bandeirantes e Vilas Boas.

Desde que os trabalhos se iniciaram, período que inclui as festas de Natal e Ano Novo, foram 17 dias úteis. Com as chuvas, as equipes não puderam sair às ruas.

Cada equipe utiliza, por dia, 20 toneladas de massa asfáltica, o que é suficiente para 10 horas de trabalho, afirma o engenheiro Edvaldo Aquino, da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, que supervisiona o serviço. Entretanto, em dias com previsão de chuva no período da tarde, as empresas encomendam metade do material.

A ocorrência de chuva, praticamente diária, deve afetar os serviços, conforme explica o secretário de Infraestrutura e Serviços, Rudi Fiorese“A equipe faz o remendo hoje. No dia seguinte, chove e aparece outro buraco, já que boa parte do pavimento de Campo Grande, com mais de 30 anos, está desgastado, praticamente sem capacidade de absorver a umidade”, detalhou.

Como medida preventiva, tão logo passe o período de chuva mais intenso, está previsto o revestimento asfáltico de alguns trechos onde o tapa buraco for feito. “Este material funciona como impermeabilizante do pavimento, devolvendo sua capacidade de absorver a umidade provocada pela chuva”, explica o secretário.

O contrato

A licitação do tapa-buraco atraiu 22 empresas, com 84 propostas para os sete lotes em que o certame foi dividido, sendo um por região urbana da cidade.  Algumas empresas disputaram mais de um lote.

A disputa barateou em 22,38% o valor dos contratos, válidos por um ano, gerando uma economia de R$ 9.812.1124,61, diferença entre o custo inicial, orçado em R$ 43.826.435,98, e o valor total das propostas vencedoras, R$ 34.014.311,37, por contratos de um ano.

Você pode gostar também