Horário de verão chega ao fim com dúvidas sobre economia de energia

Em 2018 a mudança de horário acontecerá em novembro

Para alguns brasileiros este penúltimo domingo de fevereiro (18) marcou uma hora a mais de sono, o que é salutar para quem, por exemplo, tinha que encarar um plantão de fim de semana. O horário de verão que começou em 2017 terminou à meia noite de ontem, sábado (17) e deixou dúvidas sobre sua economia.

Conhecido dos brasileiros desde 1931, o horário de verão só ganhou caráter permanente em 2008, quando passou a vigorar obrigatoriamente no período entre o 3º domingo de outubro ao 3º domingo de fevereiro.

No final de 2016 o governo Federal cogitou suspender o horário de verão, já que estudos feitos pelo Ministério de Minas e Energia mostrou que a mudança já perdeu efetividade em seu principal objetivo, a economia de energia elétrica.

Dados divulgados pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) mostram que o horário de verão não alivia mais os gastos do governo com o setor, como aconteceu em anos anteriores.

Tanto que, para atender um pedido do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o governo já anunciou que o horário de verão de 2018/2019 começará um pouco mais tarde, só no 1º domingo de novembro deste ano, após a realização do 2º turno das eleições.

A União ainda não divulgou nenhum balanço sobre a economia com energia nestes últimos quatro meses, de outubro do ano passado até ontem.

 

 

Mais notícias