Entrega de provas atrasa e candidatos de concurso da PM vão à polícia

Cerca de 20 pessoas foram prejudicas e 7 registraram boletim de ocorrência

Confusão no horário na entrega da prova da primeira fase do concurso da Polícia Militar, na Uniderp, na rua Ceará, em Campo Grande, pode ter prejudicado cerca de 20 concurseiros, entre eles candidatos de fora do Estado. Sete deles registram boletim de ocorrência na Polícia Civil neste domingo (12).

Segundo informações dos participantes, eles teriam entrado na sala onde foi aplicada a prova e esperado mais de 30 minutos para receber os testes. Mesmo cobrando a prova para o fiscal, os concurseiros afirmam que foram orientados a esperar. A prova só foi entregue 30 minutos depois do horário previsto em edital.

Depois de algumas horas, o mesmo fiscal informou que os participantes teriam 30 minutos a mais que as outras salas onde as provas foram entregues no horário, mas em menos de cinco minutos depois, o coordenador da Fapems (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura de Mato Grosso do Sul) disse que o prazo tinha acabado e que as provas precisavam ser entregues.

De acordo com os participantes, o coordenador teria discutido com os candidatos, desclassificando todos e alegando que eles estavam fazendo ‘motim’.  A PM foi acionada e orientou os participantes a registrarem o boletim de ocorrência.

Os concurseiros negociaram concessão de mais 10 minutos para o preenchimento do gabarito, tempo esse, segundo os participantes, que não foi suficiente.

Entre o grupo prejudicado, estão pessoas que vieram de Nioaque e Goiás para participar do concurso, agora o grupo pensa em entrar com mandado de segurança coletivo e revisão do gabarito. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro como preservação de direito.

O outro lado

Em nota, a Fapems informou que o horário exato de início da aplicação das provas varia de acordo com a lotação de cada sala, devido ao tempo necessário à acomodação dos candidatos, indicação de instruções e distribuição das provas.

A organizadora do certame alega, ainda, que independente, porém, da hora de início, “todas as aplicações tiveram duração estipulada em edital, de quatro horas. Informa, ainda, que todas as situações atípicas registradas ao longo da realização serão avaliadas pela Fundação de acordo com aquilo que foi lavrado na ata de aplicação”.

Por fim, a Fapems garante que “não há qualquer razão que justifique a desclassificação dos candidatos envolvidos”.

36 mil inscritos

As provas da primeira fase do concurso Polícia Militar de Mato Grosso do Sul começaram às 8 horas  e o movimento foi grande nos locais onde os candidatos farão os testes. Algumas confusões de endereço marcaram a abertura dos portões, além de estacionamentos lotados e trânsito conturbado.

Segundo o fiscal de prova Rafael de Brito, muitas pessoas ficaram confusas entre a Universidade Uniderp, localizada na Avenida Ceará, e a Uniderp Agrárias na rua Alexandre Herculano. Para ele pessoas que estavam perdidas por volta das 7h30 ainda seria possível tentar encontrar o local certo, mas depois desse horário em razão do trânsito, seria impossível o acesso.

Para facilitar  foi solicitado o reforço nas linhas de transporte coletivo. A Policia Militar também está reforçando policiamento no entorno dos locais de realização das provas.

(Matéria editada às 18h10 para correção de informação)

 

Mais notícias