Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Briga no Parque Ayrton Senna suspende atividades noturnas da Funesp

Desentendimento entre adolescentes e professora teria sido motivo da decisão

Um desentendimento entre adolescentes e alunos das atividades físicas oferecidas pela Funesp (Fundação Municipal de Esporte), no período noturno no Parque Ayrton Senna, teria sido o motivo da suspensão dos exercícios em Campo Grande.

Uma aluna que não quis se identificar relatou que a atualmente a Fundação oferece treino funcional e pilates gratuitamente no Parque. Por volta das 15h desta quinta-feira (22), um grupo de adolescentes chegou na quadra de esportes e começou a jogar futebol até às 19h quando a turma de alunos da Funesp faz o treino funcional.

Irritados com a presença de outras pessoas no local, os jovens teriam começado a chutar a bola em direção ao grupo com o objeto de “arrumar briga”. Diante da situação, ainda de acordo com uma aluna, a professora confiscou a bola dos garotos e decidiu chamar a coordenação das atividades a fim de colocar ordem no parque.

Testemunhas afirmaram que, neste momento, os jogadores – que não fazem parte dos projetos da Prefeitura, ficaram revoltados e ameaçaram bater na professora. A Polícia Municipal foi acionada e uma equipe tentou conduzir adolescentes e vítimas para a Delegacia Civil, mas a professora teria pedido que a coordenadora respondesse pela ocorrência.

“Não podíamos aceitar que a coordenadora das atividades fosse para a Delegacia porque, neste caso, a vítima foi a professora e ela não quis representar. Além do mais, os alunos queriam que a gente segurasse os menores de idade até a chegada da coordenadora, mas isso seria mantê-los em cárcere privado”, explicou a assessoria de imprensa da Polícia Municipal.

Ainda conforme os frequentadores das atividades, esta não é a primeira vez que acontece brigas entre pessoas não cadastradas e alunos da Fundação. A comunidade denuncia falta de rondas e cobra mais atuação dos agentes de Segurança Pública.

“Agora as atividades foram suspensas por falta de segurança. Quer dizer, os baderneiros ficam e as pessoas de bem saem”, disse uma das frequentadoras.

A Polícia Municipal informou que os fatos narrados serão investigados mediante sindicância interna da SESDES (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social). A corporação também ressaltou que o referido local possui vigilância permanente da equipe e, após as denúncias, deve disponibilizar uma viatura extra nos horários de atividades noturnas.

A Funesp confirmou que as atividades foram suspensas temporariamente, mas garantiu que está “organizando um novo professor para o local.”

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...