Cheia do Miranda alaga MS-184 e Agesul recomenda nova rota a carros pequenos

A rodovia é utilizada para turismo e transporte de gado

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) orienta aos motoristas de veículos de pequeno porte evitem trafegar pela rodovia MS-184, conhecida como Estrada Parque. A rodovia fica localizada próxima a Corumbá, a 429 km de Campo Grande, e está alagada pelas águas da cheia do rio Miranda. O rio sofreu com as chuvas no fim de fevereiro, o nível do rio baixa lentamente, mas continua em estado de alerta de acordo com o Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). A previsão é de que nos próximos dias a rodovia esteja com camada de água de 25 a 30 centímetros.

A MS-184 é utilizada para o transporte de gado e também pelos turistas que se dirigem às pousadas instaladas na região da Estrada Parque. De acordo com a Agesul, o fenômeno natural é rotineiro e não prejudica a passagem de caminhonetes e caminhões. A recomendação é que motoristas em carros pequenos trafeguem pela rodovia MS-432, que dá acesso ao Distrito de Albuquerque. 

A agência mantém acompanhamento permanente, realiza a manutenção constante das pontes e realiza o cascalhamento nos locais onde há necessidade. A ação pretende garantir a retirada do gado da parte baixa do Pantanal, que já começa a enfrentar cheia atípica, por conta do excesso de chuva registrado no Estado no final do ano passado e início deste.

Previsão de cheias para os próximos meses

Os fazendeiros e empresários de turismo da região esperam uma segunda cheia, a do rio Paraguai, que corta a MS-228 no Porto da Manga, entre maio e junho. O transbordamento do rio deve ocorrer até o fim deste mês e, dependendo da intensidade, pode deixar a estrada submersa ou interditada.

Mais notícias