Amaducci diz que greve expõe ‘falta de diálogo’ e alerta para ‘grupos infiltrados’

Pré-candidato do PT declarou apoio à greve dos caminhoneiros

Para o pré-candidato ao governo do Estado, Humberto Amaducci (PT), a greve dos caminhoneiros, que já dura oito dias, expõe como o atual governo do presidente Michel Temer (MDB) não tem diálogo.

“Infelizmente o governo não tem diálogo, pra chegar a esse ponto você percebe a falta de preparo desse governo para dialogar” afirmou Amaducci. “A gente percebe que, depois do golpe que aconteceu, o prejuízo à classe trabalhadora tem sido enorme”.

“Na realidade nós estamos vivendo um momento de desgoverno” declarou o petista. “Pras coisas voltarem ao seu eixo, a gente tem que ter um processo eleitoral que o povo escolha quem serão seus representantes”, prosseguiu Amaducci.

O petista acredita que uma eleição com a participação de Lula (PT) poderia retornar o país à normalidade, mesmo se o ex-presidente perdesse. “Eu não tenho dúvida que um governo que tenha respeito à democracia, que fosse eleito, não passaria por essa situação”.

Ex-prefeito de Mundo Novo, Amaducci declarou apoio total à greve, porém com ressalvas para “grupos infiltrados”.  “O que não apoiamos são alguns grupos infiltrados, a questão da intervenção militar do radicalismo. É necessário saber conciliar os interesses”, ressaltou.

Reunião do PT sobre greve

Nesta manhã, lideranças municipais, entre Amaducci, vereadores e deputados, estão reunidos na sede do diretório estadual do PT para discutir, uma “avaliação do quadro atual”, e posicionamentos sobre a greve dos caminhoneiros.

Às 15h, o pré-candidato participa também de uma reunião da Executiva Estadual do PT, com a presença dos deputados Zeca do PT e Vander Loubet, entre outras lideranças, para tratar do mesmo tema.

Mais notícias