Prefeito promete ‘quase a totalidade’ dos ônibus com ar-condicionado até fim do mandato

Capital só tem 3 ônibus com ar-condicionado 

O Prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD), afirmou nesta terça-feira (11) que 'todos merecemos 100% dos ônibus com ar-condicionado'. Atualmente, no entanto, a cidade possui apenas 3 veículos equipados. 'Nós vamos chegar lá', concluiu, sem especificar datas ou metas para a promessa de campanha. A quantidade equivale a menos de 1% da frota da cidade, que tem 585 coletivos.

Nesta manhã, a prefeitura de Campo Grande e o Consórcio Guaicurus apresentaram, em solenidade nos altos da Avenida Afonso Pena, os recém-chegados veículos do transporte urbano comprados pelo Consórcio Guaicurus, após cinco anos sem novos carros. Dos 91 carros comprados pelo consórcio Guaicurus, são seis carros equipados com algum equipamento para amenizar o calorão da Capital; três com ar-condicionado e outros três com climatizador.

“Até a gente finalizar esse mandato, quase a totalidade da frota vai estar com ar-condicionado”, assegurou o prefeito. Segundo Marquinhos, o número baixo é só começo do projeto de renovação da frota. “Para uma caminhada, precisa dar o primeiro passo”, defendeu.   

O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito),Janine de Lima Bruno, explicou que os carros equipados com ar e climatizadores serão levados para a linha 070, uma das mais cheias do transporte coletivo da cidade. As demais se dividirão entre as linhas azuis, que fazem o percurso de alimentação entre bairro e plataformas de embarque -, e as linhas troncais, que transitam entre os terminais. 

A compra totaliza 91 veículos, mas até agora somente 52 estão na cidade. O restante, de acordo com Janine. só deve chegar na primeira quinzena de maio. 

Sobre a falta de conforto dos carros, apesar de novos, Janine defendeu que os bancos estão sem estofados para evitar as mãos do vandalismo, e aviou que a preservação é de responsabilidade dos empresários. “O Consórcio tem fiscal e o consórcio tem que se responsabilizar”, comentou. (Editado às 12h51)

Mais notícias