Pediu para Deus lhe tirar a ambição e encontrou a felicidade nas artes e nas ruas

Amir optou pela vida simples nas ruas vendendo sua arte, cantando e falando de suas expediências de vida.

“Um certo dia pedi a Deus que me tirasse toda a ambição”. Assim que o ex-bancário Amir Tadeu de Matos começa a contar sua trajetória em busca da felicidade.

“Eu só pensava em progredir na vida, ganhar dinheiro, ficar rico. Tinha muita ambição”, narra Amir que aos 56 anos não tem mais ambição por nada e acabou encontrando a felicidade que procurava nas artes e nas ruas onde trabalha, se diverte e faz novos amigos.

Deus atendeu o pedido de Amir. “Tornei-me um homem totalmente desprovido de ambição. Hoje me contento com pouco e meus amigos dizem que Deus exagerou na dose”, disse Amir que é escritor com três livros publicados, músico com dois CDs gravados, membro da Academia Douradense de Letras, restaurador de móveis, marceneiro, um menestrel das ruas.

Antes de perder a “ambição” por coisas materiais, Amir chegou a construir dezenove casas, foi dono de empresa de compra e venda de veículos e fez de tudo para ganhar dinheiro e acumular riquezas.

Depois de se libertar do que chama de “amarras do poder do dinheiro”, Amir que é casado e pai de três filhos adultos, vive numa casinha simples com a esposa costureira formando um lar cheio de paz e amor. É nesta casa onde fica sua marcenaria.

Hoje Amir trabalha nas ruas de Dourados. Logo pela manhã o ex-bancário pega um geringonça em forma de carro que ele mesmo construiu e escolhe uma esquina para montar a sua “empresa”. Ao cair da tarde Amir junta seus apetrechos e volta para casa. Tudo recomeça no dia seguinte. Quando não com sua loja nas ruas, permanece em casa fabricando os móveis.

Evangélico e pregador nos cultos de sua igreja Amir depois de montar seu estande de vendas de móveis rústicos restaurados e de uma infinita lista de antiguidades dedilha seu violão e canta músicas sacras de sua autoria e canções de Antonio Marcos, Roberto Carlos entre outros sucessos das décadas de 1970 e 1980.

Amir também gravou cinco CDs com mensagens de amor, de paz e felicidade que são vendidos junto com suas antiguidades. “A felicidade mora em mim”, diz o escritor que é um exímio instrumentista quando demonstra em público suas habilidades na guitarra havaiana.

A cada dia Amir está com seu “negócio” numa esquina diferente onde além de vender suas traquitanas oferece o calor de um bom bate-papo e ensinamentos de um homem que diz ter aprendido a viver com o pouco, ter fé nas coisas espirituais e na força de um sonho de vida tranquila e feliz baseada no desprendimento.

 

Mais notícias