Menos da metade do público alvo foi vacinado contra a gripe na Capital

Campanha contra influenza termina dia 26

Faltam 11 dias para o fim da campanha nacional de imunização contra a dengue, e em Campo Grande mais de 105 mil pessoas do grupo de risco ainda precisam se vacinar.  A dose está disponível em todas as unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF) das 7h30 às 11h e das 13h às 17h e na Praça Ary Coelho as doses serão distribuídas até a próximo sábado (20), sem intervalo para o almoço.

Os dados divulgados pela Prefeitura de Campo Grande apontam que os idosos com mais de 60 anos é a população que mais se vacinou, atingindo a marca de 45.069, seguido pelas crianças de 6 meses a menores de 5 anos, com o total de 23.804.
Já as gestantes representam 3.693, e as puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), 869. Os profissionais da saúde somam 9.745 pessoas vacinadas. Neste ano, o Ministério da Saúde (MS) inseriu os professores no grupo de risco e eles somam 2.589 doses aplicadas. Os indígenas contabilizam 563 pessoas e funcionários do sistema prisional, 68, enquanto que os portadores de doenças crônicas, 5.980.

Entre os dias 11 e 13 (Dia D) foram imunizadas 16.139 pessoas, enquanto que a expectativa era vacinar 40 mil. “A baixa procura pela vacina contra a gripe está ocorrendo em todo o país e por isso estamos aguardando uma orientação do Ministério da Saúde, para quais medidas adotar. Até lá, vamos continuar seguindo com estratégias recomendadas”, disse a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Mariah Barros.
  
O Ministério da Saúde recomenda a vacinação para indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de cinco anos, as gestantes, as puérperas, os trabalhadores de saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, os funcionários do sistema prisional e professores (público ou privado) do ensino básico, médio e superior.
 
Para receber a vacina, todos devem apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) e/ou número prontuário da rede de saúde de Campo Grande (Hygia); documento pessoal de identificação; e, a caderneta de vacinação (caso tenha).
Além dos documentos exigidos para todos, os profissionais de saúde devem apresentar a carteira do conselho ou holerite; as gestantes e puérperas: cartão da gestante, laudo médico ou exames com identificação; e os indígenas: cadastro na SESAI.

Já os professores devem apresentar um holerite e os documentos obrigatórios para todos do grupo de risco. Os portadores de doenças crônicas precisam apresentar e deixar nas unidades de vacinação, cópia do laudo indicando a doença ou uma receita, ambos com carimbo e assinatura do médico.

 

Menos da metade do público alvo foi vacinado contra a gripe na Capital
Mais notícias