Governo corta metade dos recursos e Censo Agro de 2017 será menos detalhado

Pesquisa começa em outubro 

O Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) 2017 começa em outubro. A pesquisa custará R$ 720 milhões, o que corresponde a 50% do número original, que era de R$ 1,7 bilhões. Devido à falta de recursos, a pesquisa deve ser menos detalhada. 

Além disso, o órgão tem  somente  R$ 505 milhões garantidos, ou seja, precisará  de mais R$ 215 milhões em 2018 para completar o levantamento, informou Vando Paz Nascimento, coordenador do Censo Agro, explicou  durante o 16 congresso da Abag, nesta terça-feira (8), em São Paulo.

O levantamento começa com um ano de atraso. Ele deveria ter sido iniciado em 2016, mas devido ao corte orçamentário, foi adiado para 2017. Além disso, o valor total ainda não está assegurado, e vai depender do orçamento de 2018. Segundo Paz Nascimento, 

Com o orçamento mais enxuto,  a forma de execução da pesquisa também vai mudar. O tempo da entrevista, que passava de duas horas e agora será algo em torno de 40 minutos. A ideia é levar menos gente a campo e otimizar a equipe, explicou Vando Paz Nascimento, coordenador do Censo Agro, explicou  durante o 16 congresso da Abag, nesta terça-feira (8), em São Paulo.

Governo corta metade dos recursos e Censo Agro de 2017 será menos detalhadoAs visitas às propriedades vão acontecer entre 01 de outubro deste ano a 28 de fevereiro de 2018 com a divulgação dos dados preliminares em maio do ano que vem. Houve cortes também para a contratação de temporários.  A pesquisa em Mato Grosso do Sul abriu em abril edital para 554 vagas, com salários de até 4 mil.

O Censo Agropecuário de 2006 revelou que a concentração na distribuição de terras permaneceu praticamente inalterada nos últimos vinte anos, embora tenha diminuído em 2.360 municípios. Nos Censos Agropecuários de 1985, 1995 e 2006, os estabelecimentos com mais de 1.000 hectares ocupavam 43% da área total de estabelecimentos agropecuários no país, enquanto aqueles com menos de 10 hectares ocupavam, apenas, 2,7% da área total. Focalizando-se o número total de estabelecimentos, cerca de 47% tinham menos de 10 hectares, enquanto aqueles com mais de 1.000 hectares representavam em torno de 1% do total, nos censos analisados.

O Censo Agro é considerado   essencial balizar e definir estratégias para adoção de medidas essenciais para todos os integrantes do setor: da agricultura familiar ao agronegócio.

Governo corta metade dos recursos e Censo Agro de 2017 será menos detalhado
Mais notícias