Artesanatos confeccionados por detentas é opção de presente para dia das mães

Feira acontece na sexta

Tapetes, jogos de cama e mesa e diversos objetos de decoração fazem parte da 6º Feira Artesão Livre, com edição especial para o dia das mães. As cerca de 350 peças confeccionados em unidades prisionais de regime fechado de Campo Grande, estarão à venda no Fórum de Campo Grande nesta sexta-feira (12). 

O principal objetivo da ação é mostrar à sociedade uma das frentes de trabalhos existentes dentro do sistema penitenciário sul-mato-grossense. O trabalho possibilita aos custodiados o desenvolvimento de habilidades manuais, além do vislumbre de uma profissão digna e geradora de renda quando receber liberdade. A iniciativa é uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Poder Judiciário, Ministério Público e Conselho da Comunidade da Capital. 

A feira, que já está na 6º edição, teve grande aceitação no passado. Em anos anteriores, somente na primeira hora da feira foram vendidos todos os “cobre-bolos” confeccionados em pedraria por detentas do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi”. Há também outros produtos como trabalhos em madeira, jogos de mesa infantis, peças em caixaria e vários artesanatos em crochê e tricô, produzidos no Instituto Penal de Campo Grande, Penitenciária de Segurança Máxima, Centro de Triagem e Presídio de Trânsito.

Na feira, os pagamentos podem ser feitos em dinheiro, com cartão, por meio de débito ou crédito, explicam os organizadores. A renda arrecadada é revertida em prol dos detentos artesãos, seja para a aquisição de mais materiais para continuarem os trabalhos, seja para ajudar os familiares. A prestação de contas é acompanhada pelo Ministério Público.

De acordo com o diretor presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, cursos de capacitação na área de artesanato são realizados regularmente, possibilitando a realização dos trabalhos. Ainda de acordo com o dirigente, a atividade é regulamentada e também serve como remição de pena, conforme estabelece a Lei de Execução Penal.

Mais notícias